Olhar Agro & Negócios

Quinta-feira, 13 de maio de 2021

Notícias / Geral

Números refletem alta

Com 35% do saldo, Mato Grosso ocupa 5º lugar no ranking nacional de participação na balança comercial

Da Redação - Michael Esquer

15 Mar 2021 - 16:23

Foto: Pexels

Mato Grosso pode crescer ainda mais com as oportunidades das novas cadeias de produção

Mato Grosso pode crescer ainda mais com as oportunidades das novas cadeias de produção

Mato Grosso se encontra no quinto lugar do ranking nacional de participação dos estados brasileiros na balança comercial. O resultado consta de levantamento de dados do Observatório do Desenvolvimento da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Econômico (Sedec) que apontam que o saldo acumulado da balança comercial do Estado representa 32% do saldo da balança do país. Apenas em 2020, as exportações de Mato Grosso somaram US$ 18,2 bilhões. 

Leia também:
Sine anuncia mais de 1,2 mil vagas de emprego na Capital e no interior de Mato Grosso

O saldo da balança comercial consiste na diferença entre as exportações e importações. Em Mato Grosso, segundo informações da assessoria, esse resultado positivo deve-se à ampliação das exportações estaduais puxadas por cinco produtos do agronegócio, principalmente pela soja, que representa 47,9% das exportações do Estado, e pela aquisição de insumos agrícolas.

Para César Miranda, secretário de Desenvolvimento Econômico de Mato Grosso, os números devem continuar refletindo alta. “A tendência é de continuarmos contribuindo com a melhora do saldo brasileiro. Estamos trabalhando através do setor de Comércio Exterior da Sedec para alavancarmos com segurança jurídica e fiscal as negociações dos produtos que são produzidos aqui e com as obtenções dos produtos importados”.

As novas cadeias de produção é um dos fatores que embasam a afirmação do secretário. De acordo com o levantamento do Observatório do Desenvolvimento, a diversificação da produção de Mato Grosso passa pela industrialização das matérias primas, pela ampliação e organização das cadeias de frutas e polpas, feijão e pulses, bioprodutos, extração vegetal, carnes processadas, artefatos de couro, mobiliário, veganos, mineração, madeira, laticínios e biocombustíveis.

“Mato Grosso pode se tornar grande fabricante de muitos produtos. Muitas cadeias produtivas já são realidade no estado. Somos fortes na produção de muitos alimentos para além da soja e do milho. O Governo de Mato Grosso está trabalhando para contribuir com o pequeno, o médio e grande produtor e empresário. A diversificação da produção é de grande importância para toda a sociedade”, enfatiza o secretário.

Uma das estratégias para a garantia da participação positiva de Mato Grosso na balança comercial brasileira e para alavancar os negócios com o mercado internacional é o trabalho que será realizado pelo Conselho Estadual de Comércio Exterior (Cecomex), cujos membros foram empossados recentemente e conta com representantes do governo e da sociedade civil, e trabalharão com foco no desenvolvimento do Estado.

“Mato Grosso pode ser mais que um estado agro, pode ser agroindustrial aliado ao desenvolvimento sustentável. E este conselho pode impulsionar a concretização dessa grande oportunidade do nosso estado com criação de políticas públicas que apoiem as empresas que querem investir na exportação e/ou atividades de comércio exterior em geral”, finalizou o secretário.

(Com assessoria)

Comentários no Facebook

Sitevip Internet