Olhar Agro & Negócios

Terça-feira, 07 de abril de 2020

Notícias / Pecuária

Acrimat será representante do Brasil na Aliança Mundial da Carne

Da Redação - Viviane Petroli

23 Out 2015 - 08:26

Foto: Acrimat

Acrimat será representante do Brasil na Aliança Mundial da Carne
O Brasil foi incluso no grupo da Aliança Mundial da Carne. O anúncio foi feito durante conferência anual da Five Nation Beef Alliance (FNBA), realizada em Mazatlán, no México. O Paraguai também passa a fazer parte do grupo mundial das maiores nacões produtores de carne bovina. O Brasil será representado pela Associação dos Criadores de Mato Grosso.

A Aliança possa agora a conta com sete países: Brasil e Paraguai, que são novos integrantes, além de Canadá, México, Estados Unidos, Nova Zelândia e Austrália.

Juntos os sete países passam a ser responsáveis por 50% da produção de carne bovina e 75% pelas exportações mundiais da commoditie.

Leia mais:
Mato Grosso participa de reunião da Aliança Mundial das Nações Produtoras de Carne

O anúncio da entrada do Brasil e Paraguai no grupo foi feito nesta quinta-feira, 22 de outubro. O Brasil participa desde 2014 da Aliança sendo representado pela Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat) como membro observador.

De acordo com a Acrimat, uma das ações estratégicas para a entrada do Brasil no grupo foi o convite para a Associação Nacional dos Confinadores (Assocon) participar como membro e assim reforçar a presença brasileira.

O diretor secretário da Acrimat, Fernando Manzi, destaca que com a entrada do Brasil na Aliança o país terá uma posição mais forte perante o mercado internacional.

"Conquistamos parceiros, produtores que tem as mesmas dores, mesmas dificuldades, mesmos problemas e que agora podem sentar juntos encontrar soluções que sejam globais. Uma conquista para a pecuária nacional e em especial para a mato-grossense que tem a Acrimat participando efetivamente desse processo”, declara Manzi.

Para Scott Champion, CEO’s da Associação de Produtores de Bovinos e Cordeiro da Nova Zelândia (Beef and Lamb New Zeeland), o Brasil capturou a razão das ações da Aliança e com isso conquistou sua participação. "As nações exportadoras estão compartilhando ideias, problemas e soluções, tentando encontrar maneiras de abordar todos os aspectos globais do setor, e é sobre isso que é a Aliança Mundial".

Conforme o diretor institucional da Assocon, Márcio Caparroz, "É extremamente valioso para nossas negociações internacionais, para ajudar no combate sobre as barreiras sanitárias".

Sozinho o Brasil possui um rebanho de 212,3 milhões de cabeças de gado. Somente no 1º semestre de 2015 foram abatidas no país cerca de 15 milhões de cabeças, das quais pouco mais de 2 milhões de cabeças provenientes de Mato Grosso.

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agro Olhar. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agro Olhar poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Sitevip Internet