Olhar Agro & Negócios

Segunda-feira, 21 de outubro de 2019

Notícias / Meio Ambiente

Sema e Indea apreendem 36 caminhões com madeira irregular em nove dias

Da Redação - Viviane Petroli

29 Abr 2015 - 11:03

Foto: Sema-MT/Ilustração

Sema e Indea apreendem 36 caminhões com madeira irregular em nove dias
Entre os dias 20 e 28 de abril foram apreendidos em Mato Grosso 36 caminhões com madeira irregular durante operação conjunta da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) e do Instituto de Defesa Agropecuária do Estado de Mato Grosso (Indea). A madeira foi apreendida nos postos fiscais da Secretaria de Estado de Fazenda (Sefaz) de Rio Correntes (região de Itiquira) e Alto Araguaia.

De acordo com a Sema-MT, dos 36 caminhões apreendidos três continha carregamento de castanheira, espécie de corte proibido por estar em extinção no país.

Leia mais:
Sema e Ibama apreendem carga de madeira estimada em R$ 3 milhões em Mato Grosso
Demora na aprovação de projetos na Sema prejudicam safra de madeira em Mato Grosso

A operação conjunta entre Sema-MT e Indea teve início no dia 20 de abril. Até o momento foram fiscalizados 653 caminhões e 21,6 mil metros cúbicos, segundo a Sema-MT, de madeira. O volume apreendido equivale a 1.105 metros cúbicos.

Conforme a Secretaria, a maior parte do carregamento que passou pelos postos de fiscalização da Sefaz era proveniente de Mato Grosso e Rondônia. Entretanto, caminhões vindos do Amazonas, Pará e Acre também foram vistoriados. Dos veículos apreendidos a maioria era com carga de Rondônia.

As irregularidades, a maior parte delas, se dividiu entre "transporte de carga com divergência na Guia Florestal (GF) ou Documento de Origem Florestal (DOF) em volumetria ou espécie", destaca o superintendente de Fiscalização da Sema, major da PM Fagner Augusto do Nascimento. “Nós levamos os caminhões para a Delegacia Municipal, juntamente com os motoristas, que vão responder criminalmente e administrativamente”.

A destinação da madeira apreendida caberá a Justiça de Mato Grosso. A Sema-MT revela que a multa aplicada equivale a R$ 300 por metro cúbico.

14 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agro Olhar. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agro Olhar poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Ahgair Alves de Araujo
    07 Out 2015 às 18:10

    Esta madeiras não são Ilegal, os Estado estão bloqueando a viagem dos caminhões, sem conhecimento do produto de sua produção procura todos meios de furtar o a continuidade do produto, quando das vez são indícios de propina de Agentes Públicos na cobrança para liberar a viagem, e todos sabem disto o Mato Grosso SEMA - INDEA IBAMA - ORGÃOS AMBIENTAIS e a maior insegurança de trabalhadores motorista que simplesmente estão transportando e passa por injurias de ataque por quem devia respeita-lo Que País e Este, isto é uma vergonha Nacional e para meio Ambiente, desde da Presidência de 1973 de Emilio Garrastazu Médici que iniciou este desastre Nacional nunca vai dar jeito por culpa unicamente do Ministério do Meio Ambiente e Pessoas que diz ser Brasileiro mais a grande duvida.

  • cassius marques da silva
    01 Jul 2015 às 16:55

    PORQUE SOMENTE AS MADEIRAS DE OUTROS ESTADOS ESTÃO SENDO APRENDIDAS? TODOS OS ESTADOS DO BRASIL PODERIAM FAZER ESTAS APRRENSÃO TAMBEM PARA AJUDAR A POPULAÇÃO DOANDO MADEIRAS, PARA AS REGIOES PARA O BRASIL..

  • Roberto
    30 Abr 2015 às 17:07

    Minoria do Mato Grosso, deveria informar a quantidade de cada Estado pois ainda tem Para e Amazonas se a grande maioria é de Rondônia o que sobra para Mato Grosso

  • Roberto
    30 Abr 2015 às 17:07

    Minoria do Mato Grosso, deveria informar a quantidade de cada Estado pois ainda tem Para e Amazonas se a grande maioria é de Rondônia o que sobra para Mato Grosso

  • joao
    30 Abr 2015 às 09:59

    IMPORTANTE DESTACAR, COMO CITA A MATÉRIA, QUE A MAIORIA DAS CARGAS COM PROBLEMAS É DE RONDÔNIA....

  • Fátima
    30 Abr 2015 às 08:35

    COM ESSAS OPERAÇÕES CONJUNTAS ENTRE SEMA E INDEA, ESPERAMOS QUE O ATUAL GOVERNO SEJA RESPONSÁVEL PELA FISCALIZAÇÃO DO TRANSPORTE DAS NOSSAS MADEIRAS E TAMBÉM DA NOSSA FLORESTA, PORQUE O ANTERIOR E SUA TURMA FORAM RESPONSÁVEIS PELA DESTRUIÇÃO.

  • Urbano
    29 Abr 2015 às 21:47

    E A SEFAZ-MT NAO EXISTE MAIS PORQUE A SONEGAÇÃO CORRE FROXA POR AI A FORA .ESTÃO DEITANDO E ROLANDO E NINGUEM ENXERGA ISSO....ACORDA SECRETÁRIO DE FAZENDA DE MATO GROSSO.

  • Observador
    29 Abr 2015 às 19:46

    Se estão fazendo isso no atual governo onde a fiscalização é rigorosa, imagine então no desgoverno do Silval que não havia nenhuma fiscalização.

  • SERVIDOR
    29 Abr 2015 às 19:20

    Isto é do conhecimento de todos que tanto a SEMA quanto o INDEA dispõe de técnicos altamente competentes e íntegros. Todavia, os gestores da gestão passada tinha todos os interesses do mundo em que estes técnicos não trabalhassem. Atualmente estamos vivendo uma nova realidade na gestão do Estado e desta forma deixando os técnicos trabalharem os resultados aparecem e a sociedade agradece.

  • Ondino Lima Neto
    29 Abr 2015 às 18:50

    A população de Alto Araguaia agradece, a madeira apreendida será leiloada pelo Rotary e revertida para prefeitura.

Sitevip Internet