Olhar Agro & Negócios

Sábado, 04 de abril de 2020

Notícias / Agricultura

Canteiro de avenida é transformado em “lavoura” de soja, milho, algodão e girassol; Veja fotos

Da Redação – Viviane Petroli

29 Mai 2014 - 11:45

Foto: Viviane Petroli/Agro Olhar

Soja, milho, algodão e girassol são plantados na Avenida das Torres para mostrar à população como é o plantio e o desenvolvimento das principais commodities de Mato Grosso

Soja, milho, algodão e girassol são plantados na Avenida das Torres para mostrar à população como é o plantio e o desenvolvimento das principais commodities de Mato Grosso

Plantas diferentes das existentes em canteiros das cidades estão sendo vistas em Cuiabá, mais precisamente na Avenida das Torres. Verdes, cheias e com altura que podem superar os 1,5 metros. Algumas apresentam cabelos, outras flores amarelas e até mesmo vagens e bolotas brancas. Estranhas? Na verdade as plantas são soja, milho, algodão e girassol plantados em um dos canteiros da Avenida das Torres. A “lavoura” urbana faz parte de um projeto da Secretaria Municipal de Serviços Urbanos de Cuiabá com o objetivo de mostrar de perto a população como as principais commodities mato-grossenses são produzidas.

A “lavoura” urbana está localizada próxima à rotária do bairro Jardim Itália, na Avenida das Torres. O plantio teve início em meados de fevereiro e é desenvolvido pela Prefeitura de Cuiabá em parceria com a Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja-MT) e o Grupo Bom Futuro.

Leia também
Moagem da cana-de-açúcar chega a 10,5% da previsão da safra
Operações de câmbio terá horário estendido pelo Banco do Brasil

Quem pela Avenida passa já pode ver o milho com cerca de 1 metro de altura já. Apesar do desenvolvimento avançado, as espigas ainda não se formaram. A soja segue o mesmo caminho, com aproximadamente 40 centímetros, ainda sem produzir as vagens. Já o algodão e o girassol estão com entorno de 10 centímetros de altura.

“Muitas crianças e adultos conhecem a soja, milho, algodão e girassol, mas só pela televisão. Tivemos a ideia de plantar tais culturas na Avenida das Torres para mostrar a população cuiabana como elas são produzidas e como se desenvolvem”, explica o secretário de Serviços Urbanos de Cuiabá, José Roberto Stopa.

Segundo Stopa, a parceria com a Aprosoja e o Grupo Bom Futuro é com relação às sementes e a assistência técnica. “A parceria segue até o dia 30 de julho, porém a intenção da Secretaria é prolongar. Mas, caso não seja possível transformaremos ali em um jardim”.

O secretário revela que no local não foram utilizados nenhum tipo de agrotóxico. “Ali há apenas terra. A Secretaria entrou com a terra, o cuidado, a água, mão de obra e as plantas pingo de ouro que estão ao redor”. As chamadas plantas pingo de ouro contornam as mini lavouras no canteiro e foram produzidas no Horto Florestal.

Diariamente o estudante universitário Douglas Soares passa pela Avenida das Torres. Ele comentar ter estranhado as plantas “diferentes”. “Conheço soja e milho, pois sou de Campo Verde, mas estranhei o plantio em pleno canteiro e dentro da cidade. Se a finalidade for para mostrar como são produzidos é bacana”.

Respeito

Apesar de ser difícil identificar, somente vendo de cima, a “lavoura” no canteiro da Avenida das Torres está em forma de palavras. No canteiro está escrito “MT Terra do Pantanal e do Agro”. “Queremos que Cuiabá tenha o título de ‘Capital do Turismo do Agronegócio’. O projeto, além de mostrar para a população de onde vem à soja, o milho, o algodão e o girassol, é para mostrar o respeito que temos com o agronegócio”, salienta Stopa.

A escolha da Avenida das Torres, explica Stopa, é por nela não poderem ser plantadas árvores em decorrência dos linhões. Além disso, os canteiros são largos e hoje é uma das Avenidas mais movimentadas de Cuiabá por ser a única que não está em obras. “Isso prova que podemos plantar qualquer coisa em qualquer lugar”, frisa o secretário.

43 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agro Olhar. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agro Olhar poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Pandora
    03 Jun 2014 às 19:35

    Sou mais a favor de plantarem manga, caju, goiaba, acerola e etc, plantas que de fato poderiam servir para alimentar a população que passa por ali, seria uma espécie de quintal. Agronegócio? Quem se beneficia? a população como um todo? Só recebemos as migalhas... mas há muitos que se contentam com as migalhas enquanto pouco enriquecem, é só irem em cidades com agronegócio forte e perceber isso. Enfim...

  • CLEIVAL
    30 Mai 2014 às 19:13

    Tudo muito bonito! Só falta plantar bananeiras nos buracos da cidade, aí completa o serviço. Vamos ter bananas para alimentar Cuiabá por 1 ano inteiro!

  • Deyved
    30 Mai 2014 às 07:25

    Isso é bom para a "Cuiabania" ter o mínimo de ciência da importância do setor produtivo para o estado de Mato Grosso. Muitos nem se quer tem noção da riqueza que o interior produz, e sustenta a economia de um estado pouco industrializado e com um setor de serviços ainda fraco. Eis a verdade!

  • ZÉ RUELA
    30 Mai 2014 às 05:50

    PARA SRA. LAURA. DIZER QUE MAURO MENDES É UM BOM PREFEITO É SUBESTIMAR A INTELIGENCIA DO POVO CUIABANO, PRA MIM ESSE SUJEITO É UM BOM OPORTUNISTA IGUAL SEU CONTERRÂNEO BLAIRO MAGGI QUE ENTROU NA POLITICA SOMENTE PARA FAVORECER SEU NEGÓCIOS, BOM PREFEITO PRA MIM É AQUELE QUE CUIDA DA SAÚDE, EDUCAÇÃO E DE SEGURANÇA AO POVO, O QUE NÃO ACONTECE COM ESSES SUJEITOS.

  • Moreira
    29 Mai 2014 às 22:28

    Beto entre outros, nem leram a reportagem e estão escrevendo coisas infundadas. Parabéns pela iniciativa... a cidade precisa mesmo se consolidar e ganhar a cultura de "Capital do Agro e do Pantanal"

  • SILVA VELHO
    29 Mai 2014 às 18:28

    E o vazio sanitário da soja não vale nas áreas urbanas? Os Fiscais do INDEA será que fecharão os olhos? Não sei se precisa mostrar estas plantas que tem controle sanitário como a soja por causa da ferrugem asiática para turistas. Êtaaaa... povinho difícil!

  • OSCARLINA
    29 Mai 2014 às 17:57

    A ideia pode ser válida, mas a nossa cidade está mesmo precisando urgente de um programa de ARBORIZAÇÃO URBANA, pode ser até com espécies nativas, pois as arvores que tínhamos em nossos canteiros e avenidas do CPA, Fernando Corrêa e Coronel Escolástico, somando também a Praça dos Bandeirantes foram todas sacrificadas, e não estou vendo nenhum movimento da Prefeitura em fazer esse PLANTIO de árvores.

  • Souza
    29 Mai 2014 às 17:30

    Parabéns pela iniciativa, achei legal!! A maior fonte de receita de Mato Grosso vem do agronegócio e muitos empregos ainda podem ser gerados por esse setor. Isso pode despertar o interessa das crianças em conhecer mais sobre a produção de alimentos.

  • Liliane Gonçalves
    29 Mai 2014 às 17:24

    O que eles deveriam fazer é fazer uma operação tapa buracos decente na Av. das Torres. Isso sim!!!

  • José Bonifácio
    29 Mai 2014 às 16:54

    Essa ideia devia ser implantada em todas as cidades de Mato Grosso. Infelizmente na maioria delas é só mato, carrapicho, picão e cupim nos canteiros das avenidas. Ah sim, na Avenida do CPA e Fernando Correa onde arrancaram a jardinagem, pode-se fazer o mesmo, já que o VLT nunca chegará nelas!

Sitevip Internet