Olhar Agro & Negócios

Sábado, 20 de julho de 2024

Notícias | Logística

desburocratização

Maggi pressiona ministra por liberação de obras na estrada de Chapada

Afiançar maior viabilidade econômica à região servida pela rodovia estadual Emanuel Pinheiro, a MT 251. Com este intuito o senador Blairo Maggi (PR) se reuniu a ministra de Meio Ambiente, Izabella Teixeira, nesta quarta-feira (11), e pediu apoio para que as obras em rodovias que cortam Mato Grosso ganhem celeridade, com prioridade para a estrada que liga Cuiabá a cidade turística incrustada num dos mais belos chapadões do cerrado brasileiro.

Foto: Reprodução

Foto ilustra duplicação da rodovia estadual Emanuel Pinheiro (MT-251)

Foto ilustra duplicação da rodovia estadual Emanuel Pinheiro (MT-251)

Afiançar maior viabilidade econômica à região servida pela rodovia estadual Emanuel Pinheiro, a MT 251. Com este intuito o senador Blairo Maggi (PR) se reuniu a ministra de Meio Ambiente, Izabella Teixeira, nesta quarta-feira (11), e pediu apoio para que as obras em rodovias que cortam Mato Grosso ganhem celeridade, com prioridade para a estrada que liga Cuiabá a cidade turística incrustada num dos mais belos chapadões do cerrado brasileiro.


Leia mais
Problema crônico da economia mato-grossense, logística avança em alguns pontos da BR-158
Dnit transfere ao Governo do Estado responsabilidade sobre pavimentação do contorno da BR 158

O trecho que liga Cuiabá à Chapada dos Guimarães aguarda a liberação do EIA/RIMA (Estudo de
Impacto Ambiental/ Relatório de Impacto Ambiental) por parte do Ibama e consta no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), do Governo Federal, conforme divulgou a assessoria de imprensa do parlamentar.

Maggi busca ainda a desburocratização de trechos em rodovias federais que cortam MT e que também aguardam a liberação do EIA/RIMA. Uma delas é a BR 080, e a outra e a BR 242, em trecho localizado entre os municípios de Gaúcha do Norte e Querência.

Nesse último caso, a maior dificuldade está na proximidade do trecho às reservas Batovi e Pequizal do Naruvôtu.

Problema indígena
De acordo com a normativa (nº 419/11) da Fundação Nacional do Índio (Funai), obras federais no entorno de terras indígenas devem respeitar uma distância mínima de 40 quilômetros, motivo pelo qual o trecho está sob reanálise do Ibama.

Outro trecho que aguarda execução está na BR 158, que foi reformulado e agora prevê o contorno da reserva Marãiwatséde. O projeto inicial previa que a rodovia passasse dentro da reserva, o que representou um entrave à consumação da proposta impedindo, em 2011, a liberação das licenças ambientais.
Entre em nossa comunidade do WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Assine nossa conta no YouTube, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet