Olhar Agro & Negócios

Quarta-feira, 20 de novembro de 2019

Notícias / Agronegócio

“EVTEA vai eliminar ‘achismos’ sobre construção da hidrovia Teles Pires-Tapajós”, diz Edeon

De Sinop - Alexandre Alves

27 Nov 2012 - 08:01

Foto: Alexandre Alves - Agro Olhar

“EVTEA vai eliminar ‘achismos’ sobre construção da hidrovia Teles Pires-Tapajós”, diz Edeon
O Estudo de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental (EVTEA) da hidrovia Teles Pires – Juruena - Tapajós vai tirar todas as dúvidas, em todos os aspectos, para a construção do modal de transporte que é a “menina dos olhos” do setor logístico para o agronegócio de Mato Grosso.

“O EVTEA vai eliminar os ‘achismos’ que existem em torno da construção da hidrovia”, disse, nesta segunda-feira à noite, ao Agro Olhar/Olhar Direto, o coordenador do Movimento Pró-Logística, Edeon Vaz Ferreira, durante um evento no Sindicato Rural de Sinop.

A licitação para a escolha da empresa que vai fazer os levantamentos será aberta no dia 13 de dezembro. Depois, a empresa contratada terá 18 meses para a conclusão dos trabalhos de campo. O governo federal reservou R$ 15 milhões para o EVTEA.

Conforme Edeon, o estudo vai fazer um mapeamento detalhado dos rios para subsidiar, em uma segunda etapa, o edital para licitar a efetiva implantação da hidrovia, com construção das eclusas necessárias para transpor os desníveis.

Em um primeiro momento, Edeon visualiza a maior possibilidade de construção da hidrovia usando o rio Teles Pires, a partir de Sinop, pois nesse trecho já há a construção de duas hidrelétricas e outras três estarão em licitação.

“E a construção dessas hidrelétricas não inviabiliza a construção das eclusas, pois, devido à profundidade do Teles Pires, elas são feitas em uma lateral, fora da barragem”, informa o coordenador, reiterando que, se fosse construída simultaneamente com as hidrelétricas, as eclusas poderiam custar 7% das obras e, sendo feitas depois, cerca de 30%.

Mas o coordenador também disse que outro braço da hidrovia – Juruena-Tapajós – com um porto em Porto dos Gaúchos também pode ser viabilizado. “O EVTEA vai apontar isso, se há viabilidade das duas, ou se é melhor apenas uma. A vantagem que se tem pelo rio Teles Pires até agora é que as licenças para as hidrelétricas já estão prontas, inclusive com construção em andamento, ao contrário do Juruena, que ainda não tem os estudos ambientais”, pontuou.

Se implantada a partir de Sinop, a hidrovia Teles Pires-Tapajós terá cerca de 1.5 mil quilômetros de extensão. A economia com o frete para exportar a soja produzida em Sorriso para a China vai girar em torno de 30% se comparada com o atual meio de exportação, que é via portos de Santos ou Paranaguá – em que os caminhões precisam percorrer 2.5 mil quilômetros e encarece o preço final.

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agro Olhar. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agro Olhar poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Sitevip Internet