Olhar Agro & Negócios

Quarta-feira, 12 de junho de 2024

Notícias | Logística

benefício

Pontes de concreto na zona rural ficarão prontas até julho

A economia também está sendo levada em conta na construção das pontes, com o reaproveitamento de madeira. “Uma ponte comum de 12 metros, com estrutura metálica custa em torno de R$ 290 mil. As que estamos executando, reaproveitando a madeira das pontes antigas, custam R$ 45 mil e a durabilidade é a mesma”, contou Marcelo Oliveira.

17 Jun 2013 - 11:03

Carol Sanford - Ascom / Prefeitura de Cuiabá

Foto: Luiz Alves - Ascom / Prefeitura de Cuiabá

Pontes de concreto na zona rural ficarão prontas até julho

Pontes de concreto na zona rural ficarão prontas até julho

Dez pontes de madeira na estrada do distrito rural do Raizama, em Cuiabá, estão sendo substituídas por pontes de concreto e devem ficar prontas até meados de julho. Cinco delas já estão em processo de conclusão. A substituição das pontes faz parte do programa Novos Caminhos da Prefeitura de Cuiabá.


Conforme o secretário de Obras Públicas, Marcelo Oliveira, as pontes serão entregues com a sinalização adequada e com a duplicação das estradas, que receberão ainda o serviço de patrolamento.

“Estamos duplicando as estradas vicinais deste distrito, que permitiam apenas a passagem de um veículo por vez e, como aqui passam muitas carretas, causavam vários transtornos. Agora as carretas poderão passar sem problemas, tanto pela estrada, quanto pelas pontes”, disse ele.

A substituição pelas pontes de concreto vai facilitar o escoamento da produção da região. Outra vantagem é a durabilidade das pontes de concreto, que resistem até 30 anos, enquanto as de madeira precisavam passar por manutenção todos os anos.

A economia também está sendo levada em conta na construção das pontes, com o reaproveitamento de madeira. “Uma ponte comum de 12 metros, com estrutura metálica custa em torno de R$ 290 mil. As que estamos executando, reaproveitando a madeira das pontes antigas, custam R$ 45 mil e a durabilidade é a mesma”, contou Marcelo Oliveira.

O secretário explicou que a madeira é reaproveitada para servir de caixote da estrutura de concreto, depois ela recebe uma camada de impermeabilizante e, em seguida, é feito o aterro para que fique da mesma altura da estrada. Para evitar alagamentos na região, também estão sendo feitas vazantes para o rio.

O programa Novos Caminhos vai substituir, nos próximos dois anos, 150 pontes de madeira por pontes de concreto nas regiões rural e urbana da Capital.
Entre em nossa comunidade do WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Assine nossa conta no YouTube, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet