Olhar Agro & Negócios

Domingo, 19 de maio de 2024

Notícias | Logística

da porteira para fora

“Portos brasileiros não podem funcionar somente oito horas por dia”, alerta cooperativista

Foto: Editora Abril

Gestão privada dos portos é o principal objetivo da MP dos Portos

Gestão privada dos portos é o principal objetivo da MP dos Portos

Os portos brasileiros são os únicos que só funcionam oito horas por dia e de segunda a sexta-feira. Por isso, precisam de mudanças urgentes como o fim da burocracia e a adoção da gestão privada para que seja possível garantir uma maior competitividade ao setor produtivo.


A avaliação é do presidente da Frente Parlamentar Cooperativista no Congresso Nacional, o deputado federal suplente Odacir Zonta (PP-SC), que considera um absurdo o fato de os portos terem expediente similar ao do funcionalismo público.

Setor rural será maior beneficiado com aprovação da MP dos Portos, avalia membro da FPA

“Os portos só funcionam oito horas por dia e de segunda a sexta. Isso é um absurdo porque tem que rodar 24 horas por dia, senão não vai rodar mesmo a máquina. A médio e longo prazo tem que abrir estes portos para a iniciativa privada, dar estrutura, agilizar e operacionalizar para funcionar durante 24 horas do dia”, opina.

China cancela novas compras de soja do Brasil; ‘É o fim do mundo’, diz Blairo Maggi

De acordo com o parlamentar, a redução da burocracia nos terminais portuários passa obrigatoriamente por uma racionalização dos procedimentos realizados pelos órgãos federais.

MP dos Portos vai a votação e Ideli diz que negociação do governo chegou no limite

“Os órgãos federais instalados nos portos não falam a mesma linguagem. Têm diferenças de metodologias de relatórios, de guias, de um órgão para outro. O governo federal tem que organizar isso”, observa.

Zonta, que é membro também da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), critica o fato de os terminais não funcionarem em dias de chuva.

“Os gestores dos portos não permitem que se estendam um toldo sobre o navio para não molhar as cargas e não perder tempo. Já estão trabalhando só oito horas por dia e ainda param por causa da chuva”, critica Zonta ao citar o ocorrido no porto de Paranaguá (PR), que ficou inoperante por 35 dias úteis por causa da chuva entre janeiro a março deste ano.

As mudanças no marco regulatório dos portos estão em tramitação na Câmara Federal por meio da Medida Provisória 595/2012, conhecida como a MP dos Portos.
Entre em nossa comunidade do WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Assine nossa conta no YouTube, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet