Olhar Agro & Negócios

Quarta-feira, 12 de junho de 2024

Notícias | Logística

NOVAS ROTAS

Tradings optam por novos portos para exportar milho de MT; Paranaguá cai para 3ª opção

A escolha dos novos portos pode significar que os vendedores já estão tentando escapar do estrangulamento dos portos de Santos e Paranaguá. O

Foto: Ilustração

Porto de Paranaguá perde posição para o de Vitória (ES)

Porto de Paranaguá perde posição para o de Vitória (ES)

As tradings que enviam o milho produzido em Mato Grosso ao exterior estão escolhendo novos portos para embarcar os grãos e, o tradicional Porto de Paranaguá (PR) – que até o ano passado era a segunda principal porta de saída – caiu para terceira opção, sendo ultrapassado pelo Porto de Vitória (ES).


Conforme dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do Ministério da Agricultura, compilados pelo Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), entre janeiro e março deste ano, o principal terminal de escoamento do cereal foi o Porto de Santos (SP), com embarque de 2.4 milhões de toneladas, seguido pelo porto capixaba (672.4 mil t) e o paranaense (573.1 mil t).

MP dos Portos vai a votação e Ideli diz que negociação do governo chegou no limite

O milho também foi enviado aos compradores internacionais pelos portos de São Francisco do Sul, em Santa Catarina (311.1 mil t), Santarém, no Pará (190.2 mil t), Manaus, no Amazonas (137.4 mil t) e São Luis, no Maranhão (62 mil t). Pequenas quantidades também foram registradas nos portos de Assis, no Acre (326 toneladas) e Guajará Mirim, em Rondônia (305 t).

A escolha dos novos portos pode significar que os vendedores já estão tentando escapar do estrangulamento dos portos de Santos e Paranaguá. O despacho via Santarém ocorre mesmo com a BR-163 ainda com grandes trechos a pavimentar e o frete rodoviário, saindo de Sorriso, considerado “caro”, a R$ 200 por tonelada – mesmo preço para levar para Santos. Já para os portos de Manaus, Assis e Guajará Mirim, os grãos chegaram via hidrovia do rio Madeira e provavelmente são oriundos da região Oeste de Mato Grosso.

Mesmo com cancelamentos de soja na China, cenário para Brasil ainda é favorável

Volume exportado

Segundo a Secex, Mato Grosso exportou 4.7 milhões de toneladas do grão no trimestre. O maior volume foi embarcado em janeiro (2.1 mi/t), seguido de fevereiro (1.5 mi/t) e, março (618 mil toneladas).

O principal destino do milho mato-grossense no período foi a Coreia do Sul, para onde foram 1.046 milhão de tonelada, seguido de Taiwan (984.6 mil t), Japão (792 mil t), Estados Unidos (461 mil t), Arábia Saudita (263 mil t), Egito (246 mil t), Ira (203 mil t), Espanha (117 mil t) e, Marrocos (85 mil t).
Entre em nossa comunidade do WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Assine nossa conta no YouTube, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet