Olhar Agro & Negócios

Quinta-feira, 29 de fevereiro de 2024

Notícias | Agronegócio

SAFRA 2023/2024

Conab fala em quebra de 15,6% na safra de soja em MT e prevê colheita estendida até abril

Foto: Reprodução

Conab fala em quebra de 15,6% na safra de soja em MT e prevê colheita estendida até abril
A colheita total de grãos na safra 2023/24 deve chegar a um total de 299,8 milhões de toneladas, conforme a nova estimativa do 5º Levantamento da Safra de Grãos, divulgado nesta semana pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). O volume é 6,3% inferior ao obtido na safra passada, o que representa 20,1 milhões de toneladas. Quando comparada com a primeira estimativa desta safra feita pela Conab, a atual projeção apresenta uma diminuição de 17,7 milhões de toneladas.

Leia também
Presidente da Aprosoja volta a criticar Conab e diz que números da companhia vão atrapalhar geração de empregos


Segundo a Conab, Mato Grosso deve sofrer com perdas em sua principal cultura, a da soja.  Neste levantamento, a produtividade média esperada da oleaginosa sofreu uma nova redução e está estimada agora em uma quebra de 15,6% da produção em comparação à safra 2022/2023 e 11,8% menor que a primeira estimativa da Conab.

De acordo com a Conab, devido ao atraso na semeadura ou mesmo replantio, há registros de lavouras nos mais variados estágios de desenvolvimento, que vão desde a floração até o ponto de colheita. Assim, a atual safra aponta que os trabalhos de colheita vão se estender para além de abril.

Em contrapartida, as chuvas ocorridas em dezembro e no início de janeiro contribuíram significativamente para a recuperação de parte do potencial produtivo da cultura, acrescentando por um ligeiro aumento no rendimento estadual, porém insuficiente para elevar a produção a um patamar próximo ao da safra anterior. 

Outro importante produto que tem estimativa de menor produção é o milho. A queda na safra total do cereal deve chegar a 18,2 milhões de toneladas, resultando em um volume de 113,7 milhões de toneladas. O cultivo da primeira safra do grão, que representa 20,8% da produção total, enfrentou situações adversas como elevadas precipitações no Sul do país e baixas pluviosidades no Centro-Oeste, acompanhadas pelas altas temperaturas, entre outros fatores.

Recentemente, a Associação de Produtores de Soja de Mato Grosso (Aprosoja) criticou projeções positivas da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) para a safra de 2023/2024. Segundo a associação, apesar da percepção de quebra expressiva, colhida por meio de pesquisas com os produtores, os números da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) estavam defasados, apontando uma “safra recorde” no País, em 155 milhões de toneladas. 

Pesquisas feitas pela própria associação de Mato Grosso e a Aprosoja Brasil apontam uma redução de mais de 20% na produção de Estado e mais de 12% em todo país.

Para o presidente da Aprosoja de Mato Grosso, Lucas Costa Beber, a imprecisão dos dados oficiais tem prejudicado os agricultores. De acordo com a ação, isso ocorre porque os números que mais refletem no mercado são os da Conab, sendo esses considerados os oficiais, apesar dos levantamentos das Aprosojas e de outras consultorias privadas apontarem para outro cenário. 
 
Entre em nossa comunidade do WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Assine nossa conta no YouTube, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet