Olhar Agro & Negócios

Quinta-feira, 29 de fevereiro de 2024

Notícias | Geral

Dados do Novo Caged

Mato Grosso tem saldo de 4,4 mil empregos com carteira assinada em setembro

Mato Grosso tem saldo de 4,4 mil empregos com carteira assinada em setembro
Mato Grosso registrou saldo de 4,4 mil empregos com carteira assinada em setembro de 2023, a maior variação positiva em relação ao mês anterior, registrada na região Centro-Oeste. Foram 51,6 mil admissões e 47,2 mil demissões no período. Os dados do Novo Caged foram divulgados na segunda-feira, 30 de outubro, pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). Nos primeiros nove meses de 2023, o saldo estadual é de 55,5 mil vagas formais. Levando em conta os últimos 12 meses, o saldo é um pouco menor: 41.537 vagas.

Leia também 
Mato Grosso mantém a liderança como o estado que mais produziu carne bovina em seis meses


Em setembro, a capital Cuiabá foi a responsável pelo maior saldo de geração de empregos formais no Mato Grosso. Houve 1.032 vagas, resultado de 10,5 mil admissões e 9,5 mil demissões. O estoque total de pessoas com carteira assinada chegou a 197,5 mil empregos formais na cidade.

Os outros quatro municípios que integram os cinco maiores saldos de empregos gerados no estado, em setembro, são Rondonópolis (519), Sinop (314), Várzea Grande (313) e Sorriso (279).

Levando em conta os cinco setores analisados pelo Novo Caged, Mato Grosso teve saldo positivo em todos. Foram 1.278 vagas no setor de serviços, 1.085 na agropecuária, 898 no comércio, 883 na indústria e 266 na construção.

1,59 milhão

Nos primeiros nove meses de 2023, um total de 1,59 milhão de brasileiros entraram no mercado formal de trabalho. De janeiro a setembro, houve 17,8 milhões de admissões e 16,2 milhões de desligamentos, segundo o Novo Caged.

"Boa notícia. Nosso compromisso sempre foi com a geração de novos empregos, para que as pessoas possam viver de forma digna com suas famílias", afirmou o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em seu perfil na rede social X.

Em setembro, assim como em todos os meses do ano, houve expansão no número de pessoas com carteira de trabalho assinada e o saldo foi de 211.764 postos de trabalho — resultado de 1.917.057 admissões e de 1.705.293 desligamentos. Nos últimos 12 meses (outubro/2022 a setembro/2023), o acumulado é de 1,4 milhão de empregos, decorrente de 22,8 milhões de admissões e de 21,4 milhões de desligamentos.

Maior estoque

O estoque, ou seja, a quantidade total de pessoas com carteira assinada atualmente trabalhando, chegou ao patamar de 44 milhões em setembro de 2023, o maior já registrado na história do país, com variação de 0,48% em relação a agosto.

A variação positiva do emprego formal foi registrada nos cinco grandes grupamentos de atividades econômicas: Serviços (+98.206 postos); Comércio (+43.465 postos); Indústria (+31.086 postos), principalmente na Indústria de Transformação (+28.077 postos); Construção (+28.359 postos); e Agropecuária (+5.126 postos).

No mês, o saldo foi positivo para mulheres (+83.096) e para homens (+128.668). No que se refere à População com Deficiência (PCD), identificou-se saldo positivo de (+1.590) postos de trabalho. O emprego foi positivo para pardos (+145.519), brancos (+49.451), pretos (+20.004), amarelos (+2.642) e indígenas (+232).

Salários

O salário médio real de admissão em setembro foi de R$ 2.032,07, apresentando estabilidade com variação negativa de R$ 8,07 em comparação com o valor corrigido de agosto (R$ 2.040,14). Já em comparação com o mesmo mês do ano anterior, o que desconta mudanças decorrentes da sazonalidade do mês, o ganho real foi de R$ 13,92.
Entre em nossa comunidade do WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Assine nossa conta no YouTube, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet