Olhar Agro & Negócios

Terça-feira, 28 de setembro de 2021

Notícias / Geral

APOIO DO ICV

Associação de extrativistas inaugura unidade de beneficiamento de castanha-do-Brasil em MT

Da Redação - Marcos Salesse

23 Jul 2021 - 14:13

Associação de extrativistas inaugura unidade de beneficiamento de castanha-do-Brasil em MT
Foi inaugurado no último sábado (17) um novo barracão para beneficiamento e armazenamento de castanha-do-Brasil, no município de Cotriguaçu (953 km de Cuiabá). O espaço foi idealizado pela Associação de Coletores e Coletoras de Castanha-do-Brasil do PA Juruna (ACCPAJ) e contou com a colaboração do Instituto Centro de Vida (ICV). Com a instalação da nova estrutura, a Associação deve intensificar a produção a partir de uma logística sustentável. 

Leia mais: 
Sebrae MT lança serviço de consultoria individual e personalizada gratuita para ajudar empresários com dificuldades

O barracão possui 800 m² e será usado nos processos de descascamento, tratamento, seleção e embalagem da castanha-do-Brasil coletada pelas cerca de quarenta famílias extrativistas integrantes da organização.  Além da inauguração do barracão, os coletores também receberam duas motocicletas para a coleta das castanhas, que integram cinco doadas pelo projeto, e uniformes.

Para a construção, o ICV contou com o financiamento do Fundo Amazônia, a partir do projeto Redes Socioprodutivas, existente desde 2018. Além da ACCPAJ, o projeto do ICV também já apoiou outras iniciativas que atuam nas cadeias de hortifrutigranjeiros, café, leite, babaçu e castanha-do-Brasil. 

Segundo a presidente da Associação, Veridiana Vieira, a inauguração do barracão representa a realização de um sonho do coletivo, que antes se reunia nas calçadas do município para discutir quais os próximos passos. "Para a gente, estar aqui é um sonho. É fruto do trabalho, educação, companheirismo agora termos uma garantia de indústria", comentou. 

Na inauguração, o coordenador do Programa de Negócios Sociais do ICV, Eduardo Darvin, relembrou a trajetória da instituição com a associação. "Nós acreditamos e temos a visão de que é possível manter a floresta em pé com desenvolvimento socioeconômico para a região", disse no evento, que contou com representantes do Executivo e do Legislativo do município.

Arco do Desmatamento 

Segundo o ICV, Cotriguaçu é considerado um dos municípios que integram a região conhecida como “Arco do Desmatamento”. De acordo com dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) de 2018, o município, que tem sua economia baseada na pecuária extensiva e exploração madeireira, teve 22% de sua área florestal total desmatada até o ano de 2015.

Demarcado em 1997, o Projeto de Assentamento (PA) Juruena tem cerca de 500 famílias estabelecidas em 30 mil hectares no município. Um estudo do ICV realizado em 2009 mostrou que mais de 40% dessa área havia sido desmatada apenas nos primeiros 10 anos de abertura dos lotes.

O coletor de castanhas Sílvio da Bragança foi um dos que vivenciou as diferentes realidades no local. "Vivi em lugares desmatados, participei desse processo. A gente precisava sobreviver e era empregado. Hoje não sou mais empregado, hoje eu mando no meu negócio. Colho e tiro renda da floresta", afirma o extrativista, que será o próximo presidente da associação.

A ACCPAJ também integra Rede de ProduA ACCPAJ também integra Rede de Produção Orgânica da Amazônia Mato-grossense (Repoama). A meta é obter a certificação orgânica para as castanhas beneficiadas na agroindústria pelo sistema participativo de garantia. Atualmente, a ACCPAJ realiza a coleta da castanha em 22 propriedades da região por meio de acordos formais com uma média anual de 150 toneladas de castanhas.
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet