Olhar Agro & Negócios

Sábado, 24 de julho de 2021

Notícias / Geral

NOVOS DADOS DO IBGE

Mato Grosso apresenta maior alta de área agrícola entre estados brasileiros; redução da vegetação também chama atenção

Da Redação - Marcos Salesse

21 Mar 2021 - 11:48

Foto: Gcom

Mato Grosso apresenta maior alta de área agrícola entre estados brasileiros; redução da vegetação também chama atenção
Entre os anos 2000 e 2018 Mato Grosso apresentou a maior alta de área agrícola (50.616 km²) e o segundo maior incremento de área de pastagem com manejo (45.449 km²) entre os estados brasileiros. Os dados são do Monitoramento da Cobertura e Uso da Terra, feito pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que identificou ainda uma redução de 17,05% (71.253 km²) da área de vegetação florestal e de 9,72% (22.653 km²) da área de vegetação campestre. O estado é o segundo com maior redução das áreas de vegetação, perdendo apenas para o Pará. 

Leia mais: 
Áreas protegidas: ICV relata a luta que reergueu e transformou a organização em referência

Essa é a primeira vez que o IBGE divulga a contabilidade do uso da terra no nível das Unidades da Federação, com dados para os anos de 2000, 2010, 2012, 2014, 2016 e 2018. Entre 2000 e 2018, destaca-se o avanço de áreas agrícolas e de pastagem com manejo sobre áreas de vegetação florestal e a substituição de áreas de pastagens por áreas agrícolas, sendo essa última transformação do território mais intensa desde 2012.

A área agrícola de Mato Grosso passou de 68.581 km², em 2000, para 119.197 km², em 2018. Já a pastagem com manejo aumentou de 144.104 km² para 189.553 km² no mesmo período. A área de vegetação florestal do estado caiu de 417.847 km² para 346.594 km² na mesma comparação. A área de vegetação campestre passou de 232.969 km² para 210.316 km².



Entre 2012 e 2014, observa-se o avanço de áreas agrícolas sobre a vegetação florestal (2.460 km²) e sobre a vegetação campestre (1.364 km²). Entre 2014 e 2016, destacam-se as conversões de vegetação florestal para mosaicos florestais (2.387 km²) e de vegetação campestre para pastagem com manejo (270 km²). E, novamente, de 2016 a 2018, repete-se essa observação de conversões de vegetação florestal para mosaicos florestais (2.302 km²) e de vegetação campestre para pastagem com manejo (1.447 km²). 


*Com informações da Assessoria do IBGE

Comentários no Facebook

Sitevip Internet