Olhar Agro & Negócios

Sábado, 08 de agosto de 2020

Notícias / Marketing com Vendas - Guilherme Camargo

Marketing em tempos de pandemia: o que fazer, e o que não fazer

Guilherme Camargo

07 Jul 2020 - 08:30

Foto: Reprodução

Marketing em tempos de pandemia: o que fazer, e o que não fazer
Utilize todos os aspectos de marketing a favor da sua empresa, mas se preocupe ainda mais em não criar impactos negativos. Desenvolver uma visão positiva da sua ajuda a superar a quarentena.

Leia mais:
Especialista em marketing, novo colunista ajudará empreendedor a impulsionar negócios

Durante a pandemia do COVID-19, vimos dois posicionamentos completamente opostos que criam impactos na visão do público e podem, ou não, colaborar para superar a quarentena. Vamos aos exemplos de quem encarou a quarentena de modos distintos:

Ato negativo durante uma situação complicada

No dia 23 de março, ainda no início da pandemia no Brasil, Junior Durski, proprietário dos restaurantes Madero, publicou um vídeo criticando o isolamento social em suas redes sociais. Segundo a empresa Brand 24, a repercussão do vídeo fez as menções da marca disparar, mas com o número de 63% citações negativas, 24% consideradas neutras e apenas 13% positiva.

Após tal repercussão, mais exatamente uma semana depois, a rede Madero confirmou a demissão de 600 funcionários, fazendo as menções subirem novamente, mas, convertendo boa parte das citações neutras e positivas em negativas. A companhia terá mais trabalho para superar a quarentena.

 Forma positiva de superar a quarentena

Um dos maiores concorrentes do Madero, a rede de restaurantes Outback usou uma estratégia diferente, com uma visão mais positiva de encarar o isolamento e superar a quarentena. A rede optou por doar a sua produção de ovos de páscoa, que seria descartada, para pequenos mercados de bairro, garantindo a esses comércios uma renda extra.

Como era de se esperar, as menções do Outback também subiram, mas em um movimento positivo, onde 74% dos comentários viram com bons olhos a estratégia da rede, 21% fizeram comentários considerados neutros, e apenas 5% consideraram a estratégia negativa de alguma forma.

Mais do que vender, ofertar um produto de qualidade e criar soluções em marketing, uma marca exerce uma função social. Os impactos de todas as decisões influenciam a percepção do público, seja de forma positiva ou negativa. Logo, todos os movimentos devem ser pensados, ainda mais em tempos de dificuldade, esses esforços ajudarão a superar a quarentena.

Faça a diferença e se destaque

Crie estratégias de marketing mais positivas e de solidariedade. Para impulsionar esse movimento social, a maior rede televisiva do Brasil, a Rede Globo, passou a citar nominalmente as empresas que prestaram algum tipo de auxílio assistências às pessoas mais carentes.

A citação das marcas, em pleno Jornal Nacional, apenas por questões ligadas a razões sociais, sem nenhum vínculo publicitário, seria algo impensado antes da pandemia do coronavírus, isto prova que durante a crise, o investimento em solidariedade, além de fazer bem a população, ajuda na publicidade da empresa e, por fim, a superar a quarentena.
 
Guilherme Camargo atua na área do marketing, e é proprietário da Gallant Company, agência sediada em Cuiabá. Ele deve escrever duas vezes por semana para o Olhar Agro & Negócios. Mais informações no Instragramonde são realizadas postagens diárias. 
 

2 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agro Olhar. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agro Olhar poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Achille Liambos
    11 Jul 2020 às 14:00

    Parabéns pelo artigo!

  • ZE NINGUEM
    07 Jul 2020 às 09:28

    O MARKETING É A ARTE "DE ENGANAR" OS CONSUMIDORES. NO FUNDO O MARKETING DO OUTBACK, LA NO FUNDO, NO PENSAMENTO DO MARKETEIRO NAO TEM NADA DE "OBRA SOCIAL". A DOACAO DOS OVOS NAO FOI PENSADA NO SOCIAL, NO COLETIVO DE QUEM NAO TEM CONDICOES DE COMPRAR OS OVOS. O FATO É, POR MAIS SIMPLES QUE SEJA, FOI UMA FORMA DE GANHAR IBOPE, MIDIA, NAS REDES SOCIAIS ATRAVES DA DOACAO DOS OVOS QUE NAO SERIAM VENDIDOS POR CAUSA DA CRISE PANDEMICA. AI FAZEM UMA AÇAO DE "MARKETING" PRA JUSTIFICAR QUE É UMA CAUSA SOCIAL. PARABENS PARA OS MARKETEIROS.

Sitevip Internet