Olhar Agro & Negócios

Quarta-feira, 26 de fevereiro de 2020

Notícias / Geral

Contribuintes de MT pagam quase R$ 1 bilhão em impostos em uma semana

Da Redação - Lucas Bólico

25 Jan 2020 - 10:38

Foto: Rogério Florentino Pereira/ OD

Contribuintes de MT pagam quase R$ 1 bilhão em impostos em uma semana
Janeiro nem acabou e o consumidor mato-grossense já desembolsou mais de R$ 3 bilhões em impostos em 2020. A soma leva em consideração tributos municipais, estaduais e federais. Na última semana, o valor arrecadado quase bateu a marca de R$ 1 bilhão.

Leia também:
Etanol deveria estar custando R$ 2,97 com revisão de ICMS, aponta governo
 
Os dados constam do Boletim Impostômetro, realizado às sextas-feiras pela Fecomércio-MT, que somou o valor pago de primeiro a 24 de janeiro de 2020. Até a semana passado, o montante recolhido foi de R$ 2.153 bi, ou seja, em sete dias, a população do estado pagou em impostos, taxas e contribuições aproximadamente 850 milhões de reais aos cofres públicos.
 
Responsável pela divulgação dos números, a Fecomércio aproveitou para criticar o |Governo do Estado, pela minirreforma tributária aprovada no ano passado e que passou a vigorar em 2020. O texto encaminhado pelo Executivo e aprovado na Assembleia Legislativa fez uma revisão nos incentivos fiscais concedidos em Mato Grosso.  
 
“Apesar da melhora econômica observada no país, o Estado de Mato Grosso resolveu aumentar a carga tributária com a Lei Complementar nº 631/2019, que altera a forma de recolhimento do ICMS e embute uma maior alíquota do imposto em produtos do comércio. Tanto para os economistas como para autoridades ligadas ao setor, os governos (municipais, estaduais e federal) não devem se preocupar somente em aumentar a arrecadação sem antes procurar formas de cortar da própria carne”, diz a entidade.
 
No ano passado, também em 24 dias, o Impostômetro da Fecomércio- havia contabilizado R$ 2.931 bilhões em Mato Grosso. Para atingir a marca de R$ 3 bi, foi necessário um dia a mais.
 
Imposto nacional
 
O Brasil já chegou à marca de R$ 204 bilhões e o aumento em relação ao ano anterior, que neste mesmo período foi de R$ 199 bilhões, tem a ver com o estímulo ao crédito para pessoas físicas e a redução da taxa básica de juros, o que contribuiu para o aumento da arrecadação.

6 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agro Olhar. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agro Olhar poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • alexandre
    28 Jan 2020 às 06:02

    Devido ao aumento do etanol , custos ICMS MM..

  • Cezar
    26 Jan 2020 às 14:10

    Ja pode dar aumentos para os deputados e pagar o RGA

  • Aerton
    26 Jan 2020 às 09:04

    Será que a carga tributária é alta em mato grosso? Tanto para os empresários quanto para o cliente final.

  • gilberto
    26 Jan 2020 às 08:18

    seria aceitável se a maior parte desse dinheiro voltasse em benefícios para o contribuinte e a sociedade em geral ao invés de sumir pelos ralos da corrupção e da politicagem.

  • Fabinho
    25 Jan 2020 às 20:16

    E quem toma na tarraqueta e os bestas aqui "consumidor final"

  • Rv
    25 Jan 2020 às 13:01

    Tudo esse dinheiro para ser gastos políticos

Sitevip Internet