Olhar Agro & Negócios

Quarta-feira, 21 de agosto de 2019

Notícias / Política

Projeto de lei exige 30% de produtos orgânicos em alimentação hospitalar

Da Redação - José Lucas Salvani

11 Jun 2019 - 15:39

Foto: Reprodução

Projeto de lei exige 30% de produtos orgânicos em alimentação hospitalar
Projeto de lei do deputado Eduardo Botelho (DEM) exige a implementação de pelo menos 30% de produtos orgânicos ou de base agroecológica em alimentação hospitalar em Mato Grosso. Caso sancionada, a adequação será feita de forma gradual em até três anos para poder atingir os 30% estabelecidos pela lei.

Leia mais:
Busca por orgânicos faz produção crescer e supermercados investem em parceiros locais

"[O] objetivo é melhorar a qualidade da alimentação que é servida aos pacientes dos hospitais da rede pública estadual, pois se tem conhecimento de que os alimentos orgânicos reúnem mais vitaminas, minerais e outros nutrientes do que aqueles cultivados no âmbito da agricultura tradicional”, diz trecho do projeto.

Quando a lei for regulamentada, o governo do estado deverá elaborar o Plano Estadual de Agroecologia e Produção Orgânica (PLEAPO) em até 180 dias. Já a implementação dos produtos será de forma gradual, sendo 10% no primeiro ano, 20% no segundo e 30% no terceiro.

Os hospitais terão que adquirir os produtos que são reconhecidos pelo Cadastro Nacional de Produtores Orgânicos, que são enquadrados no conceito de agricultura familiar, organizados em associações e cooperativas. Os alimentos orgânicos ou de base agroecológica produzidos em cidades da mesma região da unidade de saúde terão preferência, assim como aqueles produzidos em Mato Grosso, quando equiparados aos outros estados em termos de qualidade, prazo de entrega e preço.

“Além disso, esta iniciativa busca também criar, progressivamente, uma cultura de substituição dos alimentos oriundos da agricultura tradicional, na qual se observa o uso corrente de agrotóxicos, por aqueles de origem orgânica", aponta outro trecho do projeto.

5 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agro Olhar. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agro Olhar poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Realista
    24 Jun 2019 às 12:16

    Como se isso fosse resolver alguma coisa, tanto para a alimentação nos hospitais públicos como para incentivo da produção orgânica e agroecológica. O setor público trata de forma ineficiente a saúde, não há recursos suficientes para fornecer a todos os atendidos pela rede hospitalar, alimento de qualidade e quantidade satisfatórias, mal se tem dinheiro para comprar o restoio da chepa. Agora quer obrigar o gestor público a pagar mais caro pelo produto orgânico? Ai sim vai faltar comida nos hospitais... como se tivessemos produtores suficientes para atender a demanda o ano todo e no preço que o setor pode pagar... ou já tem alguem especifico a ser beneficiado com essa lei? E claro teremos um aumento enorme de produtores iniciando ou mudando o enfoque produtivo para a linha orgânica pensando nas vantagens de vender para os hospitais públicos... nem as escolas estão pagando direito, ficam 3 a 6 meses aguardando o empenho das notas das entregas para p PNAE... não viaja Deputado. Larga de politicagem. Nem vou entrar no mérito do vies ideologico quanto a qualidade nutricional dos alimentos produzidos de forma convencional e orgânica. Baboseira

  • Anselmo
    12 Jun 2019 às 15:02

    A iniciativa privada não possui dinheiro a rodo como a assembleia, então se os produtos disponibilizados no mercado não possuem restrições o porque de exigir tratamento diferenciado. VERGONHA deste "representante" do povo

  • É
    12 Jun 2019 às 10:35

    Verdade Juca, seria interessante se pudesse haver parcerias diretamente com os agricultores, mas seria bem trabalhoso, eu acho.

  • Juca
    11 Jun 2019 às 17:16

    Os hospitais de Mato Grosso não estão podendo nem comprar alimentos normais, quanto mais orgânicos que custam no mínimo cinco vezes mais! Como esse deputado pode ser tão fora da existência!

  • Marcos
    11 Jun 2019 às 16:22

    é o Estado querendo se meter em tudo...

Sitevip Internet