Olhar Agro & Negócios

Quarta-feira, 21 de agosto de 2019

Notícias / Logística

Nova pista de pouso e decolagem deve ser construída em até três anos no aeroporto de Cuiabá

Da Redação - Wesley Santiago

18 Mai 2019 - 16:20

Foto: Rogério Florentino/Olhar Direto

Nova pista de pouso e decolagem deve ser construída em até três anos no aeroporto de Cuiabá
O Consórcio Aeroeste, que venceu a disputa para administrar quatro aeroportos de Mato Grosso (Cuiabá, Sinop, Rondonópolis e Alta Floresta), deverá construir, em até três anos, uma nova pista para pousos e decolagens no Aeroporto Internacional Marechal Rondon, localizado em Várzea Grande, região metropolitana da Capital. A medida é vista como primordial para aumentar o número de voos, devido a restrições impostas pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

Leia mais:
Após leilão, empresas terão de aumentar embarque no Aeroporto Marechal em 65%
 
Conforme o projetado, a nova pista de pouso e decolagem será feita paralela à atual e terá 2.300m de comprimento por 45m de largura. Além disto, serão implantadas áreas de segurança (chamadas de RESA), nas duas cabeceiras. Com isto, a pista atual se transformará em uma taxiway.
 
Uma taxiway é utilizada para deslocamento em solo e/ou manobra de aeronaves, tendo como principal função oferecer ligações entre posições de estacionamento e pistas de pouso e decolagem. É fácil perceber uma: elas são sinalizadas, com linhas amarelas - traço único e contínuo demarca a linha central da trajetória, enquanto traços duplos paralelos definem as bordas da pista de taxi. À noite ou durante os dias de baixa visibilidade, é possível identificá-las ainda mais facilmente, pois suas bordas são balizadas com luzes azuis, distinguindo-as das luzes de uma pista de pouso e decolagem que são brancas, amarelas e vermelhas.
 
O aeroporto de Cuiabá ocupa atualmente a categoria 4C, que representa o tamanho de aeronave que o local pode receber. “Nós operamos com restrição por conta do espaço entre a pista e o terminal, que é menos do que o permitido, que é de 150 metros. No cadastro da Anac existe a restrição. Não pode aumentar a frequência de voos. Isso representa prejuízo para a empresa que opera”, disse ao Olhar Agro & Negócios a superintendente de Desenvolvimento de Modais da Secretaria de Infraestrutura e Logística (Sinfra), Maksaíla Moura Campos.
 
Depois da assinatura do contrato, a empresa terá 45 dias para que aconteça a eficácia. Durante isto, terá de ser apresentado o Plano de Transferência Operacional. Dentre as melhorias que a Aeroeste terá que implementar nos terminais a curto prazo estão, por exemplo, a melhoria da climatização, acesso à internet gratuita (wi-fi) nos terminais, adequação de banheiros e atualização de sinalização aeroportuária.
 
“Em seguida, já entram os requisitos pré-estabelecidos que têm de ser cumpridos. Operações IFR devem ser mantidas, melhorias que seriam feitas pelo governo federal, entre outros. Acredito que deve demorar três anos para ser construída a nova pista. Precisa de licenciamento ambiental, trazer o material, entre outras coisas”, estimou a superintendente.

14 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agro Olhar. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agro Olhar poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Rubens
    21 Mai 2019 às 16:29

    Nem sabia que Cuiabá tinha aeroporto. Achei que só VG que tinha.

  • Cidão Marques
    20 Mai 2019 às 18:53

    É a mesma coisa de discutir se o Palmeiras tem mundial my god rsrsrsrs.

  • juca
    20 Mai 2019 às 12:50

    kkkkk, capivaras raivosas discutindo onde fica o aeroporto, parabéns. ganharam uma estrelinha no caderno. eeeee brejo veio cheio de capivaras.

  • lucia
    20 Mai 2019 às 08:55

    quando viajo pelo brasil sempre vejo nos paineis de controle Cuiabá, porque será?

  • jose
    20 Mai 2019 às 08:53

    Para os entendidos o aeorporto de cuiabá fica em varzea grande como vários aeoroportos no mundo inteiro onde o local fica em cidades menores proximo as grandes metropolis.

  • Donatoni
    20 Mai 2019 às 04:22

    Concordo com Laércio e Ricardo: São Paulo, Curitiba, Natal e Cuiabá não têm aeroportos mesmo. Ficam em Guarulhos, São José dos Pinhais, São Gonçalo do Amarante e Várzea Grande.

  • Manoel Elias
    19 Mai 2019 às 21:54

    O aeroporto é de Cuiabá embora fique em Várzea Grande assim como o de São Paulo fica em Guarulhos, o de Belo Horizonte em Confins é por aí vai. Não é demérito nenhum dizer que o aeroporto é de Cuiabá, como de fato é.

  • Ricardo
    19 Mai 2019 às 21:38

    Os cuiabanos ficaram bravinhos pq eu disse que o aeroporto que fica em várzea Grande não pode aeroporto de Cuiabá.

  • cidadão cuiabano
    19 Mai 2019 às 20:36

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Juca Pirama
    19 Mai 2019 às 17:39

    Oh povinho sabido esses que falam que o aeroporto é de Várzea Grande eles precisam se instruir um pouquinho mais, para aprender que o aeroporto é sim de Cuiabá, mas que fica no município de Várzea Grande, pois, ninguém compra uma passagem aérea para Várzea Grande é só observarem como exemplo os Aeroportos de São Paulo: Congonhas e Cumbica em Guarulhos, esse último, não necessariamente ficam no município de São Paulo e o Aeroporto de Viracopos, conhecido como de Campinas, fica no município de Indaiatuba o Aeroporto Afonso Pena de Curitiba, fica no município de São José dos Pinhais e o de Belo Horizonte fica no município de Confins. Em tempo, a rodoviária de Várzea Grande fica no município de Cuiabá, porque em Várzea Grande só tem ponto de parada, não tem nem rodoviária. Sem maldade, só para esclarecimento.

Sitevip Internet