Olhar Agro & Negócios

Domingo, 25 de agosto de 2019

Notícias / Energia

Hidrelétrica inicia procedimento para enchimento de reservatórios;R$2,8 bi investidos

Da Redação - Thaís Fávaro

27 Jan 2019 - 14:55

Foto: Divulgação

Hidrelétrica inicia procedimento para enchimento de reservatórios;R$2,8 bi investidos
A Sinop Energia, concessionaria da Usina Hidrelétrica (UHE) em Sinop (481 Km de Cuiabá), iniciará os procedimentos para enchimento do reservatório no próximo dia 30 de janeiro após a Secretária de Estado de Meio Ambiente (Sema), emitir a autorização de enchimento do reservatório e testes em cargas das unidades geradoras. Para que esses procedimentos fossem iniciados, o empreendimento realizou o remanejamento das famílias envolvidas e obras de alteamento na BR-163. A suspensão da vegetação foi concluída em toda a área com autorização do órgão ambiental.

Leia mais
Venda direta de etanol das usinas para postos pode causar desabastecimento no país e dificultar fiscalização
 
O procedimento é um marco importante, pois representa a conclusão das obras civis e o início da última fase, até a geração de energia elétrica, o que reflete todas as obrigações cumpridas pelo projeto com a sociedade e o meio ambiente.
 
O enchimento do reservatório será de forma controlada, conforme explica o diretor de Meio Ambiente da Sinop Energia, Ricardo Padilha. “Durante esse período várias atividades ocorrerão de forma conjunta, por meio de ações e medidas dos inúmeros programas que fazem parte das condicionantes do licenciamento ambiental. O enchimento terá análises regulares da água com o objetivo de garantir a sua qualidade, proteger os animais da região e as comunidades do entorno do futuro lago”, repassou.

Para que os procedimentos de enchimento fossem iniciados, o Empreendimento realizou o remanejamento das famílias envolvidas com a construção da Usina, as obras de alteamento da ponte da rodovia MT-220, desvios na BR 163 com a construção de três pontes, e a supressão da vegetação - devidamente autorizada pela SEMA. A UHE Sinop foi o primeiro Empreendimento do país a destinar sua madeira retirada, classificada e estocada em pátios, após devida compra de todos créditos de reposição florestal correspondentes. Isso representa aproximadamente 480 mil m³ em toras e lenha.

O diretor presidente da Sinop Energia, Jean-Christophe Delvallet, repassou que a equipe do Programa de Comunicação Social intensificou as visitas realizadas na área de influência do Empreendimento, para levar informações atualizadas sobre o trabalho. Para a atividade foram produzidos diversos materiais de comunicação, dentre eles, um folder específico, contendo informações detalhadas sobre todo o processo de enchimento do reservatório.

“Os canais de comunicação do Sistema Fale Conosco, como o número 0800 642 5009, website www.sinopenergia.com.br, caixas de sugestões instaladas nos cinco municípios da área de influência, e-mail atendimento comunicacao@sinopenergia.com.br e centro de atendimento, na avenida das Sibipirunas, 3662, setor comercial, em Sinop, continuam disponíveis para a utilização da população”, finalizou o presidente.

Usina Hidrelétrica Sinop

Com investimentos na casa de R$ 2,8 bilhões em ativos, a Usina Hidrelétrica Sinop está sendo implantada entre os municípios de Cláudia e Itaúba, no rio Teles Pires, estado do Mato Grosso. Com o reservatório sendo formado nos municípios de Sinop, Cláudia, Sorriso, Itaúba e Ipiranga do Norte, terá capacidade para gerar 401,88 megawatts (MW) de energia, o suficiente para abastecer uma cidade com 1,6 milhão de habitantes.

5 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agro Olhar. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agro Olhar poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Zeca
    29 Jan 2019 às 09:41

    A nossa energia é mais cara do mundo, por que só de ICMS pagamos 45% do valor do consumo. Por isso investidores do sudeste preferem instalar suas empresas lá! A energia elétrica, a telefonia, combustíveis e impostos, são os mais caros do Brasil. Enquanto isso continuaremos a produzir grãos e carnes e mandá-los para aquela região, para serem industrializadas ou exportadas in natura. Com isso não agregamos valor aos nossos produtos. No entanto tudo que é industrializado, compramos de lá. Além de muitos alimentos como legumes, raízes, frutas, etc. É só prestar atenção das gôndolas (prateleiras) dos supermercados e observar o que é produzido no estado e o que é produzido no Sul/Sudeste do país.

  • Claudio
    29 Jan 2019 às 09:14

    Uma coisa é certa, o rio Teles Pires nunca mais será o mesmo, assim como o rio Jauru, após as construções de um conjunto seis pequenas hidrelétricas, o rio ficou irreconhecível, inibiram -se as grandes enchentes, com a vazão reduzida e instável os peixes se escafederam, é preço do capitalismo.

  • Sr. Sincero
    28 Jan 2019 às 14:44

    Não consigo entender essa dinâmica, mesmo com tantas usinas e ainda pagamos a energia mais cara do mundo.

  • WILTON SANTOS DA SILVA
    28 Jan 2019 às 13:19

    essa é mais uma usina que é construída com um único proposito enviar energia para o sudeste, ai mato grosso vai la e compra de volta simples assim.

  • CIDADÃO FISCALIZADOR
    27 Jan 2019 às 16:02

    A SOCIEDADE ESTÁ MONITORANDO TUDO, NÃO VAMOS TOLERAR EXCESSOS E CRIMES AMBIENTAIS.

Sitevip Internet