Olhar Agro & Negócios

Sábado, 24 de agosto de 2019

Notícias / Meio Ambiente

Audiência pública discute criação do ‘Monumento Natural Estadual Centro Geodésico Da América Latina’

Da Redação - Isabela Mercuri

14 Dez 2018 - 15:23

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

Audiência pública discute criação do ‘Monumento Natural Estadual Centro Geodésico Da América Latina’
Uma audiência pública discutiu a criação do ‘Monumento Natural Estadual Centro Geodésico Da América Latina’, em Chapada dos Guimarães, na manhã desta sexta-feira (14). Com a presença da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema-MT), do secretário adjunto de turismo Jaime Okamura, vereadores e população da cidade, a discussão girou em torno de tornar a região do mirante em uma unidade de conservação.

Leia também:
Mato Grosso possui três projetos finalistas em premiação do Crea sobre Meio Ambiente

De acordo com o site da Associação O Eco, “O Monumento Natural (MONA) é a categoria de unidade de conservação que tem como objetivo preservar a integridade de um elemento natural único, de extrema raridade ou beleza cênica, como, por exemplo, uma cachoeira, uma rochas e um cânion. Como unidade do grupo de proteção integral, a modificação dos aspectos naturais por intervenção humana é proibida”.

Durante a audiência pública, foi informado aos presentes que o processo de criação da unidade é conduzido pelo governo do Estado desde janeiro de 2018. “Caso seja consolidada a criação, a unidade terá uma área de 43 hectares, atendendo às recomendações legais da Lei Estadual nº9.502 de 14 de janeiro de 2011, da Lei nº9.985 de julho de 2000 e demais normativas”.

Além disso, para o governo, “A unidade de conservação representa um importante passo para a conservação da biodiversidade em sítios raros, que despertam o interesse geológico e pela sua beleza cênica. No mirante em Chapada dos Guimarães, o observador se encanta com as escarpas de arenito vermelho que formam a moldura para o mirante, onde é possível observar paisagens longínquas do planalto mato-grossense. Nessas áreas é permitido o uso indireto dos recursos naturais como a educação ambiental e o turismo”.

Estiveram presentes na audiência pública a Sema, o Conselho municipal de turismo, a Prefeitura de Chapada dos Guimarães, a Sedtur, a UFMT, vereadores, o trade turístico, guias de turismo e a comunidade.

1 comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agro Olhar. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agro Olhar poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Ernani
    17 Dez 2018 às 10:43

    O Centro Geodésico da América do Sul é no Campo DOurique, onde está a Câmara Municipal. Transferir para a Chapada é vender uma falsa informação.

Sitevip Internet