Olhar Agro & Negócios

Sábado, 24 de agosto de 2019

Notícias / Meio Ambiente

Baías de Chacororé e Siá Mariana passarão por mutirão de limpeza realizado por voluntários e órgãos público

Da Redação - André Garcia Santana

08 Fev 2018 - 11:49

Foto: Reprodução/Sema

Baías de Chacororé e Siá Mariana passarão por mutirão de limpeza realizado por voluntários e órgãos público
Sem destinação adequada o lixo gerado na Baixada Cuiabana é arrastado pelas chuvas ao Pantanal e suas nascentes. Para evitar os danos ambientais causados pela ação humana, voluntários irão percorrer um trecho de 60 quilômetros pelo rio Cuiabá para retirada dos resíduos sólidos na região de Barão de Melgaço, incluindo as baías de Chacororé e Siá Mariana e seus corixos.

Leia mais:
Autuado pelo Ibama, madeireiro de MT é destaque na Folha por receber crédito florestal da Sema

A Ação de Limpeza Voluntária do Pantanal será realizada nos dias 10 e 11 de março e se estende também a outros pontos conhecidos, como praia do Boi, Estirão Comprido e Volta do Poço. O projeto é do grupo de Comunicação e Educação Ambiental Teoria Verde e conta com o auxílio da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) que disponibilizará servidores da área de educação ambiental e infraestrutura de barcos.

A Pasta reforça que a situação do lixo piora nessa época do ano, quando as precipitações aumentam e as cheias levam ainda mais dejetos para o leito do rio Cuiabá.  “Estamos sempre abertos a atender projetos em prol do meio ambiente que partem diretamente da sociedade. Isso demonstra o entendimento que cuidar da natureza é responsabilidade de todos”, afirma o titular da secretaria, André Baby.

Além da Sema, pescadores locais e outros órgãos públicos já aderiram ao projeto. Segundo o diretor da Teoria Verde, Jean Peliciari, o objetivo é retirar a maior quantidade de lixo possível e chamar a atenção da população dos 13 municípios que fazem margens com o rio Cuiabá e que estão acelerando o desequilíbrio da região.

Até o momento já confirmaram a participação: Barco Hotel Princesa do Pantanal, Pousada Mutum, Lebrinha, Associação Melgacense de Ecologia (Amec), Associação de Pescadores Z5, Pacto em Defesa das Cabeceiras do Pantanal, Secretaria Estadual de Turismo (Seadtur), Juizado Volante Ambiental (Juvam), Batalhão de Polícia Militar de Proteção Ambiental (BPMPA), Casa de Guimarães, Deputado Wancley Carvalho.

Também irão colaborar com a ação as prefeituras dos municípios de Cuiabá, Várzea Grande, Santo Antônio de Leverger e Barão de Melgaço.

6 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agro Olhar. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agro Olhar poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Cidada
    10 Fev 2018 às 09:27

    Se fosse só aí, tava Facil de resolver! As pessoas precisam de conscientização e não jogar lixo no chão! O Rio Cuiabá está um lixo... é uma vergonha levar algum amigo ou parente de fora p almoçar no São Gonçalo beira rio e ver aquela sujeira toda... os cuiabanos estão perdendo a cada dia mais . ??

  • piro
    09 Fev 2018 às 13:44

    Excelente iniciativa, pena que a população cuiabana e varzeagrandense não colabora. ou fazem isso agora, pu o nosso pantanal está com os dias contados.

  • Jandira pedrollo
    09 Fev 2018 às 13:38

    Ótima iniciativa, porém o principal é educar a população e comerciantes não depositarem o luxo em qualquer local. Passeando na orla observei que logo após uma ação da teoria verde,, na lateralda frutaria Marília havia muito lixo ocasionado pelo mau acondicionamento dos resíduos nas sacolas. Esse é apenas 1 exemplo de muitos que poderia dar.

  • Fagundes
    09 Fev 2018 às 10:35

    Acho que essa ação deveria ocorrer todos os dias na nossa cidade. A prefeitura deveria investir maciçamente na educação ambiental e fazer a população entender que lixo deve ser jogado na lixeira. Por experiência própria, vi em Curitiba que se vc joga um papel de balinha no chão, as pessoas ao redor te encaram fazendo com que vc apanhe do chão o papel de balinha. Aquela população já internalizou a necessidade de trabalhar o lixo corretamente. Por acaso, são melhores que nós? Não são não! Nosso pessoal está mau acostumado e não tem nada que impeça ninguém de jogar lixo nas ruas. Caçambas que carregam lixo sólido(aterro) não cobrem a carga como manda a lei mas como não tem fiscalização, eles não o fazem e saem derramando aterro pela cidade. O que é isso? Falta de fiscalização. Um dia quem sabe, chegaremos perto do céu, por enquanto estamos abaixo do chifrudo...

  • Dudu
    09 Fev 2018 às 09:58

    Órgãos público? Afffff

  • João Capivari
    08 Fev 2018 às 15:54

    O problema é lixo jogado ao léu, que vai para os rios e decanta nas baías do pantanal. Coisas de gente suja, das cidades e dos ribeirinhos que estão às margens dos rios. Sem consciência do prejuízo ambiental que causam. Tomara que essa ação de limpeza possa conscientizar pelo menos algumas pessoas, por que a maioria jamais se conscientizará por ser mal educada, estúpida!

Sitevip Internet