Olhar Agro & Negócios

Domingo, 15 de setembro de 2019

Notícias / Meio Ambiente

Hidrelétrica pagará R$ 15 mi em compensação ambiental; repasse beneficiará Parque Mãe Bonifácia

Da Redação - André Garcia Santana

08 Dez 2017 - 12:10

Foto: Reprodução

Hidrelétrica pagará R$ 15 mi em compensação ambiental; repasse beneficiará Parque Mãe Bonifácia
Em decorrência do impacto ambiental causado por sua instalação, a Usina Hidrelétrica Sinop (UHE Sinop) deverá repassar a Mato Grosso R$ 15,5 milhões em compensação ambiental. O valor de R$ 4,5 milhões, estabelecido anteriormente, foi revisto pela câmara técnica da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), na quinta-feira (7). Parte do valor deverá ser destinada a um plano de Negócios na área de turismo para as Unidades de Conservação do Estado, com prioridade para os Parques Mãe Bonifácia, Zé Bolo Flô e Massairo Okamura, na Capital.

Leia mais:
Desmatamento da Amazônia em MT passa de 26 mil hectares; indenizações chegam a R$ 2,8 bi

Além deste plano, o recurso terá outros três destinos principais, que são a revitalização do Parque Florestal de Sinop e de Terra Nova do Norte; apoio à criação de unidades de conservação (UCs) em Sorriso e Colíder. De acordo com o assessor chefe Rodrigo Quintana Fernandes, o valor apresentado pelo empreendedor com referência em R$ 1,1 bilhão em investimentos estava inadequado, haja vista que serão aplicados R$ 3,2 bilhões. “Com a correção e a atualização dos valores chegamos nesse total”.

O secretário de Meio Ambiente e vice-governador, Carlos Fávaro, comemorou remanejamento de R$ 2,5 milhões em compensação para beneficiar o Parque Mãe Bonifácia. Entre as melhorias previstas estão: construção de um mirante, reforma e ampliação de banheiros, implantação de academias ao ar livre, reforma e melhoria do casarão e de outras estruturas da unidade.

Tal cobrança é prevista pelo artigo 36, da Lei 9.985/2000, que regulamenta o Sistema Nacional de Unidades de Conservação (SNUC). A partir dessa legislação, nos empreendimentos com significativo impacto ambiental, o empreendedor fica obrigado a destinar um percentual do valor do empreendimento para a criação ou gestão de unidades de conservação de proteção integral.

A Câmara de Compensação Ambiental da Sema é composta por servidores de vários setores e também pela Subprocuradoria-Geral de Defesa do Meio Ambiente. Participaram desta última reunião também: o secretário executivo André Baby, a secretária adjunta de Licenciamento Ambiental e Recursos Hídricos, Mauren Lazzaretti, o superintendente de Mudanças Climáticas e Biodiversidade, Elton Antônio Silveira, o coordenador da Cuco, Jean Carlo Holz, o superintendente de Tecnologia da Informação, Fábio Hordi, e o subprocurador Cláudio de Assis.

5 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agro Olhar. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agro Olhar poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Nelson
    03 Jan 2018 às 10:34

    Cadê o recurso do centro de triagem e recepção da fauna silvestre do Batalhão de Polícia Militar Ambiental de Mato Grosso? Fazem o resgate da fauna pra colocar num depósito sem condições. A SEMA passou a competência para o BPMA mas não ajuda os valorosos guerrreiros que fazem todo o trabalho!!!

  • Jomax
    09 Dez 2017 às 08:45

    Poxa. E o lago do parque mãe bonifácia ? No projeto original desse parque tinha a construção do lago q é muito importante para Cuiabá. Pelo amor de Deus, o parque mãe bonifacia não foi concluído até hoje porque não fizeram o lago. Destinam uma parte desse recurso pra fazer o lago. A população quer isso!

  • Márcia
    08 Dez 2017 às 17:22

    Como diz uma famosa frase (não me recordo a autoria no momento).. "Quando a última árvore tiver caído, quando o último rio tiver secado, quando o último peixe for pescado, vocês vão entender que dinheiro não se come".

  • Maria Lucia
    08 Dez 2017 às 16:36

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • OLDEMIR SCHWIDERKE
    08 Dez 2017 às 13:12

    Realmente tem que ir para o Parque Mãe Bonifaicia o valor, pois ele faz parte do mesmo bioma kkkkk que vergonha, o valor deveria ser utilizado para a recuperação de áreas próximas ao empreendimento, e com certeza tem muito lugar para utilizar o recurso .... claro que não vai dar ibope como utilizar no mae bonifacia na capital

Sitevip Internet