Olhar Agro & Negócios

Segunda-feira, 15 de julho de 2024

Notícias | Economia

59,9 mil t

Quarto maior produtor de peixe, MT vê piscicultura “travada” por falta de indústria

Foto: Manoel Xavier Pedroza Filho/Embrapa Pesca e Aquicultura

Quarto maior produtor de peixe, MT vê piscicultura “travada” por falta de indústria
Quarto maior produtor de peixe no Brasil, Mato Grosso vê a atividade da piscicultura "travada" pela falta de plantas frigoríficas. O Estado conta hoje, segundo a Associação Brasileira da Piscicultura (Peixe BR) com aproximadamente sete indústrias frigoríficas de peixe com Selo de Inspeção Federal (SIF).


Leia mais:
Quarto maior produtor de peixe, Mato Grosso tem queda de 19% na produção
 
Em 2016, Mato Grosso registrou um recuo de 19% na produção de peixe. Os dados são da Peixe BR, que revelam uma produção de 59.900 toneladas contra 74.000 toneladas constatadas em 2015.
 
“A atividade tem alguns problemas. O maior dentro da cadeia é a falta de indústria em Mato Grosso”, comenta a piscicultura na Baixada Cuiabana, Maria da Gloria Chaves. Ela que é produtora há 20 anos salienta que a ração não é entrave para o setor, uma vez que o Estado é grande produtor de grãos.
 
Segundo o secretário-executivo da Peixe BR, Francisco Medeiros, Cuiabá, Várzea Grande, Sorriso, Alta Floresta e Nossa Senhora do Livramento são os principais núcleos de produção de Mato Grosso.
 
Na avaliação de Medeiros, além de haverem poucos frigoríficos para atender a produção mato-grossense, outro fator que leva o Estado a perder a liderança na piscicultura, uma vez que em 2014 liderava a produção nacional junto com o Paraná com 75 mil toneladas cada um, é não ter produção de tilapia. Conforme ele, a liberação da produção de tilapia em São Paulo e no Paraná foi impulsionou tanto a criação quanto a exportação e consumo.
 
Consumo
 
Conforme a Peixe BR, o consumo de peixe do mato-grossense é de 12 quilos/ano em média, enquanto do brasileiro é de aproximadamente 10 quilos/ano. 
 
Em Cuiabá, segundo a piscicultora Maria da Gloria, “o consumo é grande, porém ao se olhar para as áreas públicas ainda é pouco. Falta incentivo de consumo em escolas, hospitais e presídios, por exemplo”.
Entre em nossa comunidade do WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Assine nossa conta no YouTube, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet