Olhar Agro & Negócios

Quarta-feira, 20 de novembro de 2019

Notícias / Agronegócio

Após operação da PF, JBS dá férias coletivas de 20 dias para funcionários de frigoríficos em Mato Grosso

Da Redação - Viviane Petroli

29 Mar 2017 - 12:16

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

Medida é em decorrência a embargos temporários, após Operação Carne Fraca.

Medida é em decorrência a embargos temporários, após Operação Carne Fraca.

A JBS dará férias coletivas de 20 dias para funcionários de quatro frigoríficos em Mato Grosso a partir do dia 03 de abril. A medida, alega a empresa, é em virtude aos embargos temporários impostos à carne brasileira pelos principais países importadores. Apesar de Hong Kong ter retirado as restrições, exceto para as empresas sob investigação, o Brasil ainda têm 13 mercados com suspensão total.

A decisão da empresa ocorre após a mesma ter anunciado nesta semana a retomada das atividades.

Leia mais:
JBS retoma abates em unidades de bovinos em Mato Grosso; 10 de 11 unidades estavam paradas
 
De acordo com a JBS as férias coletivas serão concedidas para funcionários de 10 unidades dentre as 36 de abate de bovinos que possui no Brasil. Ainda segundo a empresa, caso seja necessário às férias coletivas poderão se estender por mais 10 dias.
 
Além das quatro indústrias em Mato Grosso, a medida será aplicada em uma unidade em São Paulo, três em Mato Grosso do Sul, uma em Goiás e uma no Pará.
 
A JBS não informou quantos funcionários serão atingidos com a determinação, porém "ressalta que está empenha na manutenção do emprego dos seus 125 mil colaboradores em todo o Brasil".
 
“A medida é necessária em virtude dos embargos temporários impostos à carne brasileira pelos principais países importadores, assim como pela retração nas vendas de carne bovina no mercado interno nos últimos dez dias”, esclarece a JBS.
 
Na semana passada a JBS suspendeu por três dias os abates em 33 das suas 36 unidades de bovinos no Brasil. Em Mato Grosso a decisão atingiu 10 das 11 unidades que possui no Estado.
 
Em nota enviada nesta quarta-feira, 29 de março, a JBS não informa também os municípios aos quais os frigoríficos que terão "férias coletivas" estão localizados.
 
Apesar de nenhum frigorífico de Mato Grosso ser alvo da Operação Carne Fraca, as investigações tem causado transtornos e prejuízos para a cadeia produtiva no Estado, uma vez que alguns frigoríficos estão suspendendo os trabalhos. Além das 10 unidades da JBS, na última semana, segundo o Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), as empresas Navi Carnes em Barra do Bugres e Agra Agroindustrial em Rondonópolis também deixaram de abater.
 
No dia 21 de março, o ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Pereira, revelou durante sabatina no Senado que a média diária de exportação de carnes que era de US$ 63 milhões havia caído para US$ 74 mil.

A operação da Polícia Federal denominada "Carne Fraca" foi deflagrada no dia 17 de março, em sete Estados (São Paulo, Distrito Federal, Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Goiás), com o objetivo de desarticular organização criminosa liderada por fiscais agropecuários federais e empresários do agronegócio.
 
Confira a nota enviada pela JBS:
 
“A JBS informa que concederá férias coletivas de 20 dias, a partir da próxima segunda-feira (3/4), para dez de suas 36 unidades de abate de bovinos no Brasil - uma em São Paulo, três em Mato Grosso do Sul, uma em Goiás, quatro no Mato Grosso e uma no Pará. As férias coletivas podem se estender por mais dez dias.
 
A medida é necessária em virtude dos embargos temporários impostos à carne brasileira pelos principais países importadores, assim como pela retração nas vendas de carne bovina no mercado interno nos últimos dez dias.
 
A companhia esclarece que é imprescindível ajustar os volumes de produção para normalizar os níveis de estoques de produtos destinados ao mercado interno, assim como reescalonar a programação de embarques de produtos para os clientes do mercado externo que ficaram represados durante esse período, de forma a não sobrecarregar os sistemas de recebimento e estocagem dos mesmos.
 
A JBS ressalta que está empenhada na manutenção do emprego dos seus 125 mil colaboradores em todo o Brasil”.

2 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agro Olhar. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agro Olhar poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Leonan Rubens pantoja
    03 Abr 2018 às 12:42

    Boa tarde queria saber como faço pra trabalhar ai no agra éo que precisa

  • Cowboy
    30 Mar 2017 às 10:04

    Vou continuar acreditando no trabalho da Policia Federal, como sempre acreditei. Só que os operadores da lei precisam entender que suas decisões têm um peso enorme e nessa operação as informações saíram muito ásperas. A mídia muitas vezes fantasiosa e irresponsável, achou uma brecha para aumentar ainda mais o rigor do assunto, prejudicando desnecessariamente muitas empresas e milhares de pessoas trabalhadoras.

Sitevip Internet