Olhar Agro & Negócios

Terça-feira, 07 de abril de 2020

Notícias / Pecuária

Famato recomenda formas de manejo reprodutivo

Ascom Famato

26 Out 2015 - 12:07

A terceira série de reportagens de cunho informativo dedicada aos produtores rurais, especificamente aos de pecuária de corte, trata dos cuidados necessários para a implantação de uma estação de monta. A Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso (Famato) esclarece as principais estratégias para se obter bons índices de fertilidade dos animais de cria.

O analista de pecuária da Famato e médico veterinário Marcos de Carvalho explica que o termo estação de monta deve ser entendido como um período determinado em que as matrizes são expostas ao acasalamento, com o intuito de obter o máximo de gestações em curto período de tempo. Isso permite concentrar e definir estrategicamente muitas atividades da fazenda relacionadas ao manejo dos animais, como a concentração de nascimento; estratégias de vacinação, vermifugação e desmame.

Ao definir uma época para estação de monta é possível ter maior controle reprodutivo e de nascimentos, sendo possível identificar e descartar as vacas que não emprenham, identificando as que não são muito produtivas, possibilitando aumento na safra de bezerros ao longo do tempo.

Para decidir qual época da estação de monta, deve-se ter em mente que a vaca só vai ciclar, ou seja, apresentar cio para ser coberta na época de maior abundância de alimentos, pois a boa nutrição é o fator crucial para obtenção de bons índices de fertilidade.

Dessa forma, é recomendado para as fazendas sem estação de monta definida, que estão iniciando esta prática de manejo, uma estação inicial de cinco a seis meses, por exemplo, início em outubro/novembro e encerramento em março/abril, reduzindo-se gradativamente de 15 a 20 dias por ano até chegar a um período de duração ideal, que pode ser de 90 a 120 dias de estação de monta, dependendo de cada propriedade.

O médico veterinário ainda esclareceu que o ideal é que a vaca produza um bezerro por ano, sendo que para tal é necessário que ela esteja prenhe até o 3° mês após o parto. Vacas com boa condição corporal tendem a se restabelecer até 40 dias pós-parto. "Considerando a duração da gestação de 290 dias e o período de involução uterina de 35 dias, restariam cerca de 55 dias, período suficiente para que ocorram dois ciclos estrais e a matriz tenha condições de produzir um bezerro a cada 12 meses, embora seja um desafio, manter o intervalo entre partos da propriedade próximo aos 12 meses", explicou Marcos.

A parição deve ocorrer na época mais propícia do ano para os nascimentos dos bezerros, ou seja, no período de transição da seca para as águas, pois ainda apresenta baixa umidade e quando também é baixa a incidência de doenças e de parasitos como carrapatos, bernes, moscas e vermes nas pastagens, próximo ao inicio das chuvas, quando o rebrote do capim vai fornecer melhores nutrientes para vacas e bezerros em desenvolvimento.

Conforme Marcos, estabelecida a estação de monta, o produtor deve estar ciente da importância do descarte das fêmeas vazias, ou seja, com baixa fertilidade ou as que não estão bem adaptadas ao sistema produtivo consideradas "as tardias". Ainda nesta etapa devem ser eliminadas as novilhas que foram desafiadas a ficarem prenhas e que por algum motivo não ficaram, as vacas de baixa habilidade materna que abandonaram o bezerro e as vacas velhas.

Para mais detalhes o produtor pode se inscrever nos cursos e treinamentos oferecidos pelo Sistema Nacional de Aprendizagem Rural (Senar-MT) e buscar orientações de veterinários, zootecnistas e técnicos.

O Senar oferece treinamento de "Implementação de Estação de Monta" com carga horária de 24h, as vagas variam de 8 a 12 alunos com idade mínima de 18 anos. O objetivo é conhecer técnicas de reprodução animal e do estabelecimento de estação de monta. Mais informações pelo site http://sistemafamato.org.br/portal/senar/fpr_ps_detalhe_snn.php?programa=CodCadeia=5&CodCurso=51633

A primeira e segunda reportagem da série foi sobre os cuidados com os bezerros de corte e as estratégias de estruturação das propriedades de cria. Acesse em: http://sistemafamato.org.br/portal/famato/noticia_completa.php?codNoticia=236260 e http://sistemafamato.org.br/portal/famato/noticia_completa.php?codNoticia=236284.

A Famato, entidade de classe que representa 89 Sindicatos Rurais de Mato Grosso, completa 50 anos no dia 16 de dezembro de 2015. Ao longo dessas cinco décadas levantou diversas bandeiras em prol do produtor. Lidera o Sistema Famato, composto pela Famato, Sindicatos Rurais, Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar-MT) e o Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea). Essa trajetória é celebrada graças ao trabalho dos produtores rurais e dos colaboradores. Acompanhem nossas redes sociais pelo www.facebook.com/sistemafamato e @sistemafamato (instagram e twitter) #Famato50anos.

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agro Olhar. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agro Olhar poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Sitevip Internet