Olhar Agro & Negócios

Domingo, 15 de setembro de 2019

Notícias / Meio Ambiente

Queimadas tiveram aumento de 2% durante período proibitivo em Mato Grosso

Da Redação - Viviane Petroli

16 Out 2015 - 10:19

Foto: Mayke Toscano/Gcom-MT

Queimadas tiveram aumento de 2% durante período proibitivo em Mato Grosso
Mato Grosso registrou 19.890 focos de calor durante o período proibitivo de queimadas, que compreendeu de 15 de julho a 15 de outubro, após duas prorrogações. O volume de casos constatados é 2% superior aos 19.012 focos constatados no período o ano passado. O Corpo de Bombeiros atendeu 1.006 chamados.

De 1º de janeiro a 15 de outubro Mato Grosso registrou 25.707 focos de calor, segundo dados Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). Os 19.890 focos constatados apenas no período proibitivo equivalem a 77,3% dos registros totais ao longo do ano.

No levantamento anual do Inpe, Colniza possui o quinto maior registro de focos de calor do Brasil com 2.002 casos. A liderança pertence a São Félix do Xingu (PA) com 3.991 casos.

Leia mais:
Período proibitivo de queimadas em Mato Grosso segue até 15 de outubro

De acordo com a Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), o período proibitivo de queimadas foi dado por encerrado após o Laboratório de Qualidade Ambiental da pasta constatar melhoria nas condições do ar no estado.

O período proibitivo de queimadas em Mato Grosso deveria ter encerrado em 15 de setembro, porém com o atraso das chuvas foi prorrogado para 30 de setembro e posteriormente 15 de outubro.

Conforme o secretário-executivo do Comitê do Fogo, tenente coronel do Corpo de Bombeiros Hector Péricles, tal liberação para queimadas não influência em áreas urbanas, uma vez que a prática de queimadas é considerada crime o ano inteiro.

O tenente coronel frisa ainda que no caso das áreas rurais é preciso uma autorização de queimada controlada, que deve ser obtida na Sema.

Dos 1.006 atendimentos feitos pelas equipes do Corpo de Bombeiros no período em 2015 foram realizados 304 atendimentos pelo Batalhão de Emergências Ambientais (BEA) e 702 pelos batalhões e companhias de Bombeiros no Estado.

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agro Olhar. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agro Olhar poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Sitevip Internet