Olhar Agro & Negócios

Sexta-feira, 20 de setembro de 2019

Notícias / Meio Ambiente

Operação detecta desmatamento ilegal e aplica mais de R$ 2 milhões em multas em MT

Da Redação

10 Jul 2015 - 14:08

Foto: Reprodução/Ilustração

Operação detecta 2 mil hectares de desmatamento ilegal e aplica mais de R$ 2 milhões em multas em MT

Operação detecta 2 mil hectares de desmatamento ilegal e aplica mais de R$ 2 milhões em multas em MT

A operação de combate ao desmatamento desencadeado pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), atuou 12 propriedades rurais localizadas no Centro-Oeste de Mato Grosso, aplicando um total de R$ 2,7 milhões em multas, durante a sua 6º edição. Além do desmatamento, foram flagrados queimadas ilegais e transporte irregular de madeiras.

De acordo com a Sema, foram encontrados 2,09 mil hectares de desmatamento ilegal e queimadas não autorizadas. As propriedades atuadas ficam localizados nas proximidades dos municípios de Nova Ubiratã, Sorriso, Nova Mutum e Feliz Natal, entres os dias 24 de junho a 3 de julho. Foram fiscalizados 20 propriedades, sendo 12 atuadas por crime ambientais.

Leia mais 
Grupo com três fazendas e cinco concessionárias em MT pede recuperação judicial 
Investimento de R$ 1,1 bi da BRF em Mato Grosso vem na contramão de fechamentos

Segundo o balanço da operação, o município de Feliz Natal, apesar de ter saído da lista suja do Cadastro Ambiental Rural (CAR), já possui 78% do seu território inserido no sistema nacional para redução dos índices de desmatamento ilegal.

Para o major da PM Fagner Augusto do Nascimento, superintendente de Fiscalização da Sema, a fiscalização tem como objetivo realizar varreduras dos programas de controle e monitoramento da Amazônia (SAD-Imazon/Inpe) e também de dados do Laboratório de Processamento de Imagens e Geoprocessamento (Lapig) da Universidade Federal de Goiás (UFG), que fornece informações em tempo real de desmatamento em área de Cerrado. “Nós encontramos muitos casos de degradação florestal nessa região, que é quando o proprietário extrai madeira de forma ilegal, depois põe fogo até que a área esteja propícia para o desmatamento de ‘corte raso’, que normalmente é realizado para plantar pasto", concluiu o major Fagner.

Entre as ocorrências, os fiscais flagraram também, em Nova Ubiratã, o transporte e comércio de madeira fora das normas práticas da Guia Florestal e de exploração seletiva, o município foi multado em R$ 187 mil por queimadas ilegal em uma área de 130 hectares. Em Nova Mutum, dois proprietários foram multados em R$ 100 mil por descumprimento de embargo.

Balanço da operação

De abril a junho de 2015, as equipes de fiscalização da Sema e do Batalhão de Polícia Militar Ambiental vistoriaram 20,6 mil hectares de florestas em Mato Grosso. Desse total, 17% ou 3,5 mil hectares representam áreas que já foram autuadas e embargadas; outros 7,1 mil hectares estão em processamento pela Superintendência de Geoinformação e Monitoramento Ambiental.

Os restantes 9,9 mil hectares compreendem: pontos falsos de identificação de desmatamento ilegal ou de dano ambiental, áreas já autuadas, sem acesso ou sem identificação. A fiscalização florestal, até o mês de junho, abrangeu 28 municípios de Mato Grosso. A escolha dos municípios é feita a partir de levantamento prévio (programação de viagens) das regiões que apresentam maiores áreas de desmatamento, que passam a serem consideradas como 'áreas críticas'.

Sobre o município

Feliz Natal é um dos maiores munícios de Mato Grosso, compreende 11.448,049 km² ou 1,164 milhão de hectares, a maior parte integra o Parque Nacional do Xingu (que não é passível de cadastramento ao CAR).

Uma parte da economia se baseia na agricultura, com cerca de 100 mil hectares cultivados, mas o carro-chefe é o setor da base florestal. Mesmo fora da lista suja, é o terceiro no ranking de desmatamento ilegal, com 4,9 mil hectares derrubados no ano passado, só perdendo para Colniza (14,5 mil hectares) e Nova Bandeirantes (7 mil hectares). Dados do satélite de referência Inpe apontam que Feliz Natal é o segundo no ranking em focos de calor este ano, com 215 focos identificados de 1º de janeiro até quinta-feira (09.07).

No ano passado, entre janeiro e dezembro, somou 834 focos de calor, ficando em 5º na lista. Além de Feliz Natal, outros dois municípios entre os 10 mais críticos também receberão audiências públicas: Juara (14.07) e São Felix do Araguaia (30.07).

5 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agro Olhar. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agro Olhar poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Julio
    11 Jul 2015 às 16:15

    A Culpa de desmatamento ilegal é da própria SEMA, entra com um processo de desmate legal e veja quanto tempo leva para ser aprovado, leva até 5 anos para aprovar uma LAU. dois ano para analisar um CAR, o estado é incompetente no que tangue as suas responsabilidade. deveria extinguir esta secretaria inoperante e incompetente.

  • joão alberto cuiabano marinho
    11 Jul 2015 às 12:20

    A INDÚSTRIA DOS TERMOS DE AJUSTAMENTO DE CONDUTA (tac) RESOLVE TUDO PARA OS PROPRIETÁRIOS RURAIS. PAGAR MULTA NEM PENSAR.

  • fabio
    11 Jul 2015 às 10:39

    Rodrigo esse um que você tem aí eu cliquei errado ao ver seu comentário sem valor algum....zero pra você.....

  • flavia viana de moraes
    11 Jul 2015 às 09:00

    pois é, a sema deveria agir mais preventivamente, a fiscalização é ineficiente, demora pra agir, o dano ambiental já está consolidado gerando muitos prejuízos a flora, fauna, recursos hídricos e sistema atmosférico, mas, o pior é que essas multas depois são judicializadas, e muitas vezes transformadas em termos de ajustamento de conduta que não dá em nada, porque a sema além de fiscalização precária, não faz o devido monitoramento. mas, tem uma certa pessoa que adora fazer TACs, aliás, é muito interessante pra ela, somente pra ela.

  • Rodrigo
    10 Jul 2015 às 16:16

    E de que adianta essas multas? Depois o proprietario recorre, encontra as brechas desse sistema falho e na pior das hipoteses paga uma multa de 100 mil.. esse valor ele consegue de volta so com as madeiras extraidas do local... conversa fiada isso dai! tem q prender um kra desse, pq essa qtidade de árvores centenarias não tem preço!!

Sitevip Internet