Olhar Agro & Negócios

Segunda-feira, 21 de outubro de 2019

Notícias / Cooperativismo

Projeto de fundo de pesquisa, melhoramento genético e instalação de frigorífico de peixe é apresentado ao governo de MT

Da Redação

01 Jul 2015 - 11:12

Foto: Lucas Ninno/GCom-MT

Projeto de fundo de pesquisa, melhoramento genético e instalação de frigorífico de peixe é apresentado ao governo de MT
Com o objetivo de manter Mato Grosso em primeiro lugar no ranking de maior produtor de peixe do país, com uma média anual de 75 mil toneladas, a Associação dos Aquicultores do Estado de Mato Grosso (Aquamat), apresentou ao governo do Estado demandas relacionadas às necessidades de criar um fundo de pesquisa e melhoramento genético de peixes e alternativas para vinda de frigoríficos específicos para o processamento. 

Leia mais 
Imea comemora 17 anos com vasto histórico de estudos de referência no Brasil 
Paulo Taques reabre diálogo de Mato Grosso com Conab para ressarcimento de dívida de R$ 600 milhões que se arrasta por duas décadas

Segundo o presidente da Aquamat, Jules Ignácio Bortoli, o Estado é responsável por aproximadamente 20% da produção total do país, se mantendo a uma boa distância do segundo colocado, o estado do Paraná, que produz 50 mil toneladas por ano, de acordo com o Instituto de Geografia e Estatística (IBGE). Porém, os investimentos ainda não são o suficiente, e que Mato Grosso não pode correr o risco de ser ultrapassado.

“O governo tem se mostrado receptivo. O produtor tem capacidade de produzir em abundância da matéria prima, contudo esbarra em algumas questões ambientais, de legislação e comercialização. Resolvendo estes gargalos tenho certeza que iremos disparar ainda mais na liderança do setor”, ressalta Bortoli.

Bortoli lembrou também que a criação de peixe é rentável do ponto de vista do produtores, da indústria frigorífica e muita apreciada pela população nos termos de sustentabilidade e saúde. “Hoje em dia as pessoas querem se alimentar melhor e do ponto de vista econômico é um produto acessível”, conclui. E, destaca o baixo número do processamento do alimento, apenas 30% do que se produz e chama a atenção para a produção da tilápia, um dos principais peixes de água doce do Brasil e com grande aceitação mundial por parte de empresários e mercado consumidor, que ainda é pouco em Mato Grosso.

A reunião ocorreu com a presença do presidente da Aquamat, Jules Ignácio Bortoli e o governador Pedro Taques, além dos secretários da Agricultura Familiar, Suelme Fernandes, e do desenvolvimento econômico, Seneri Paludo, e empresários do setor de piscicultura de Mato Grosso.

O governador Pedro Taques lembrou que aumentar a produção de peixe no Estado é uma das metas de sua gestão e que o governo estudará uma política de atração para investimentos no pescado, com projetos estratégicos de crescimento e uma forma de resolver os gargalos ambientais e na legislação para o desenvolvimento do setor. Acrescentou ainda que as demandas solicitadas fossem apresentadas em forma de projeto e que serão estudadas com atenção junto a seu secretariado.

O secretario Suelme Fernandes ressaltou que a fomentação da aquicultura é essencial para alavancar os pequenos produtores, como forma de abastecer os mercados locais e servir de sobrevivência para pessoas nos assentamentos. Para ele, o apoio do Estado é importante para melhorar a vida dos pequenos produtores que poderá ter mais qualidade na produção, aumentar a renda e vender um produto saudável para cidade e até fora do estado já que Mato Grosso é o maior produtor.

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agro Olhar. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agro Olhar poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Sitevip Internet