Olhar Agro & Negócios

Domingo, 20 de outubro de 2019

Notícias / Meio Ambiente

Mato Grosso poderá comercializar Crédito de Carbono no mercado mundial

Da Redação

15 Abr 2015 - 14:05

Foto: Reprodução

Mato Grosso poderá comercializar Crédito de Carbono no mercado mundial

Mato Grosso poderá comercializar Crédito de Carbono no mercado mundial

O governador de Mato Grosso, Pedro Taques, assinou nesta terça-feira (14) o termo de cooperação técnica com a empresa Permian Global para formaliza a comercialização de Crédito de Carbono gerada no Parque do Cristalino, localizado na região Norte do Estado. O documento visa também garantir a valorização dos ativos florestais e a conservação das unidades ambientais do Estado.

Leia mais 
Cuiabá sedia XV Congresso Brasileiro dos Membros do Ministério Público de Meio Ambiente

Segundo o diretor da Permian Global, Miguel Milano, a empresa, juntamente com o governo do Estado de Mato Grosso, irá formar uma parceria para criar mecanismo de mercado transformando floresta em pé em valor agregado econômico para o Estado e transformar em modelo mundial.

O projeto será acompanhado pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) que ficará responsável pela elaboração de uma legislação visando regulamentar a comercialização de ativos florestais. O governo o Estado tem como objetivo, mostrar o projeto aos proprietários de áreas com florestas naturais.

O Parque do Cristalino possui uma biodiversidade e um potencial de ecoturismo estratégico para o Estado. Ele possui aproximadamente 185 mil hectares e pode gerar crédito de carbonos que serão vendidos no mercado mundial.

A Permian Global é uma empresa de investimento, proteção e recuperação de florestas naturais e será responsável pela avaliação do projeto que estudará a quantidade e qualidade natural do parque além de medir o estoque de carbono existente.

3 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agro Olhar. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agro Olhar poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • roberto
    16 Abr 2015 às 07:54

    De quem é e como funciona esse ong. como vai funcionar isso. algo unilataral não funciona isso coisa pontual com interesse outro de grupinhos de gente que vivem parasitando o poder público.

  • suellem barros da fonseca
    15 Abr 2015 às 20:45

    realmente é muito esquisito esse convênio com essa ong, é como um atestado de que o estado é incompetente para gerir projetos como esse, então pra que serve a sema? porque não valorizar os técnicos do governo, capacita-los, estruturar a sema e gerar pensamento e tecnologia própria, e não ficar subjugada a interesses de organizações que vêm aqui piratear nossos recursos naturais e se aproveitar destes para obter dividendos, que poderia muito bem ser socializado entre o povo matogrossense. não é de hoje que as opções nessa área ambiental do atual governo deixa muito a desejar, limitada e até incompetente, mas, não foi pra isso que elegemos o atual governo. o governador assinou um documento que atesta a incompetência do seu governo para com a gestão ambiental deste estado.

  • ESTRANHO
    15 Abr 2015 às 15:24

    Muito estranho passar o direito de comércio para uma empresa privada, é uma ONG ? Quem são os proprietários ? Teve licitação ? Atuo no mercado florestal e essa questão nunca foi colocada em pauta p/ ser discutida com a sociedade . . . Tem mistério aí . . .

Sitevip Internet