Olhar Agro & Negócios

Terça-feira, 12 de novembro de 2019

Notícias / Meio Ambiente

Lucas do Rio Verde já cadastrou 80% dos imóveis rurais no Sicar

Da Redação - Viviane Petroli

29 Mar 2015 - 09:48

Foto: Lenine Martins/Gcom-MT

Lucas do Rio Verde já cadastrou 80% dos imóveis rurais no Sicar
O município de Lucas do Rio Verde registra aproximadamente 80% de seus imóveis rurais cadastrados no Sistema de Cadastro Ambiental Rural (Sicar). As informações são da Secretaria de Estado de Meio Ambiente de Mato Grosso (Sema-MT). Até maio de 2016 a Secretaria possui como desafio cadastrar 140 mil imóveis em Mato Grosso.

Mato Grosso possui 73 milhões de hectares passíveis de cadastramento, exceto Terras Indígenas e Unidades de Conservação de Proteção Integral, em meio a uma área total de 90 milhões de hectares. De acordo com informações da Sema-MT, cerca de 40 milhões de hectares já foram cadastrados no Sicar, o equivalente a 51 mil imóveis rurais.

Leia mais:
Produtos à base de avermectinas são liberados para controle de ectoparasitas em bovinos
Primeira colheitadeira de Mamona do mundo será lançada no Farm Show em Mato Grosso

O anúncio do percentual atingido por Lucas do Rio Verde em cadastramento no Sicar foi feito pela secretária de Estado de Meio Ambiente, Ana Luiza Peterlini, durante o evento Show Safra BR-163, realizado no município entre 24 e 27 de março. A secretária foi convidada para falar sobre as Oportunidades para regularização ambiental à luz do novo Código Florestal Brasileiro – CAR-MT/Sicar’.

“Lucas sempre esteve na vanguarda porque iniciou o processo de regularização já há alguns anos. Não tenho dúvida de que com o empenho dos empresários locais todas as pendências serão equacionadas em breve”, declarou Ana Luiza Peterlini.

Conforme a secretária de Estado de Meio Ambiente, apesar de se estar avançado no processo do novo sistema, ainda é preciso que haja adequação Às demais alterações provenientes do Novo Código Florestal, como é o caso da recuperação de áreas de preservação permanente (APP), entre outras.

4 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agro Olhar. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agro Olhar poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Djalma Metelo
    29 Mar 2015 às 19:12

    Os municípios e o publico estão cumprindo com suas obrigações e a SEMA ainda não decolou neste governo, esta amputado. Como esperar uma mudança firme de rumo, capaz de devolver a Maquina governamental se a Secretaria de Meio Ambiente não consegue ver onde está, muito menos para onde está indo? Não há, por enquanto, nenhuma resposta à disposição do público em geral.

  • Ricardo Mendonça
    29 Mar 2015 às 15:58

    Agora só precisa a secretaria Peterline mostrar para que veio, a SEMA esta a deriva, sem comando, técnicos falando línguas diferentes. Setores parados, já se foram três meses, de gestão e continua a passos de cagado. Como que o time entra em campo sem nenhum jogador escalado nesta altura do campeonato. Esta faltando postura e conhecimento técnico da nossa secretária de estado.

  • Jean
    29 Mar 2015 às 14:46

    É precisa adequar não só isso mas no estado existe região com lacunas que o programa não interpreta, exemplo: tem uma propriedade no município de Poxoréo próximo a Dom Aquino que o sistema não reconhece.

  • ROBERTO
    29 Mar 2015 às 13:10

    O município de Lucas do Rio Verde tem 80% de sua área territorial desmatada isso sim.É melhor calar-se e deixar que as pessoas pesarem que você é um idiota do que falar e acabar com a dúvida. Abraham Lincoln

Sitevip Internet