Olhar Agro & Negócios

Domingo, 21 de julho de 2024

Notícias | Logística

ESTUDOS E REPAROS

Rota do Oeste acompanhará translado de rotor para medições e adequações da BR-163

Foto: Rota do Oeste/Odebrecht TransPort

Rota do Oeste acompanhará translado de rotor para medições e adequações da BR-163
O segundo rotor da Usina Hidrelétrica de Teles Pires chega a Cuiabá no próximo dia 17. Ao chegar à Capital mato-grossense a peça estará entrando na BR-163, rodovia federal hoje considerada em estado "crítico" pelo setor do transporte e produção. A previsão é que o rotor leve 12 dias para percorrer a BR-163, o que significará transtornos para os motoristas e possibilidade de análise do que necessita ser feito pela concessionária Rota do Oeste, que já realiza obras de limpeza para a duplicação da referida rodovia, bem como recuperação do asfalto por onde o equipamento passou.


O rotor saiu de Cáceres nesta segunda-feira (14) e as estimativas é que o transporte até Paranaíta, aonde a usina é construída, leve cerca de 30 dias. A primeira peça, entregue em 8 de junho, levou 25 dias para percorrer todo este trecho. Outras três peças serão entregues em 2014, ainda, na Usina Hidrelétrica de Teles Pires.

Leia também
Segundo rotor da UHE Teles Pires está em Cáceres e chega dia 17 em Cuiabá
Rotor é entregue em usina hidrelétrica após 25 dias; Outra peça está a caminho

De acordo com o diretor de Operações da Rota do Oeste, Fábio Abritta, uma equipe da concessionária dará apoio de tráfego no transporte do rotor, juntamente com a Polícia Rodoviária Federal. Além disso, uma consultoria técnica estará junto para realizar a instrumentalização de cinco obras (pontes e viadutos), ou seja, a concessionária irá mensurar o impacto que uma peça como o rotor, através de seu peso, pode impactar em uma rodovia, como a BR-163. “

Profissionais, por meio de equipamentos, medem a movimentação do concreto devido ao deslocamento de peso. Caso haja impacto na estrutura serão feitos imediatamente os reparos necessários”, salienta o diretor da Rota do Oeste.

Além da concessionária, vencedora da concessão da BR-163, a Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja-MT) acompanha o transporte do rotor. A entidade desde a primeira peça acompanha de perto o transporte, tendo-se em vista o impacto que causa no escoamento da produção agropecuária e industrial do Estado.

O rotor pesa 290 toneladas e possui 5,30 metros de altura e 8,8 metros de diâmetro. Todo o conjunto (peça e caminhão) pesa 626 toneladas trafegando pelas rodovias federais BR-070 e BR-163 e estadual (MT-320) de Mato Grosso. O caminhão trafegará em uma velocidade média de 15 km/h e será novamente escoltado pela Polícia Rodoviária Federal e fará as paradas obrigatórias a cada 30 km percorridos para desafogar o trânsito.
Entre em nossa comunidade do WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Assine nossa conta no YouTube, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet