Olhar Agro & Negócios

Domingo, 21 de julho de 2024

Notícias | Logística

ATÉ QUE ENFIM

Odebrecht inicia na segunda-feira obras na BR-163 em Mato Grosso; Veja fotos

Foto: Assessoria Rota do Oeste - Odebrecht TransPort

Odebrecht inicia na segunda-feira obras na BR-163 em Mato Grosso; Veja fotos
As obras de duplicação da BR-163, no trecho que compreende da divisa de Mato Grosso com Mato Grosso do Sul até Sinop, começam na segunda-feira (09). As obras a princípio iniciam em três pontos considerados “delicados” pela Rota do Oeste, empresa da Odebrecht TransPort. A empresa fará obras de duplicação, reparos e de sinalização em 453,6 quilômetros da BR-163 e prestará serviços nos 850,9 quilômetros da concessão obtida em 2013. Ao longo dos 30 anos de concessão R$ 5,5 bilhões deverão ser aplicados pela empresa.


Em junho serão iniciadas as obras de três trechos, conforme o diretor geral da Rota do Oeste, Paulo Meira Lins. Na segunda-feira (09) as máquinas começam a operar no acesso ao terminal multimodal de grãos da América Latina Logística (ALL) em Rondonópolis, onde 22,7 quilômetros serão duplicados.

Leia também
Médio-norte e norte de Mato Grosso serão beneficiados com corredor de escoamento da BR-163
Conheça o valor que Odebrecht cobrará em cada praça de pedágio na BR-163
Odebrecht vence leilão da BR-163 com tarifa de R$ 2,63 por pedágio

Em média pela BR-163 trafegam 70 mil veículos por dia, sendo68% veículos de carga.

Ainda neste mês as máquinas entram a todo vapor no trecho de 80 quilômetros que liga o Posto Gil a Nova Mutum, além da Rodovia dos Imigrantes (28 quilômetros). Nestes dois trechos serão realizadas obras de recuperação de pavimento, que compreende desde operações tapa-buracos a recapeamento total.

“A estimativa é que estes três trechos estejam prontos no início do 2º semestre de 2015. A nossa ideia, começando por eles, é atender o escoamento da safra 2014/2015 já”, diz Lins.

O diretor geral da Rota do Oeste revela que ao longo de 2014 outras obras no trecho serão iniciadas, indo desde tapa-buracos, melhorias em sinalização, entre outras. “As obras da Rota do Oeste são em 453,6 quilômetros. Os demais quilômetros serão de competência do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT). Porém, estaremos ao longo dos 850,9 quilômetros prestando serviços operacionais”, explica Lins.

Nos primeiros cinco anos da concessão, prazo em que a Rota do Oeste e o DNIT possuem para concluir as duplicações de suas respectivas responsabilidades, a empresa da Odebrecht TransPort injetará nos 453,6 quilômetros R$ 2,8 bilhões, quase a metade dos R$ 5,5 bilhões que deverá investir em 30 anos de concessão.

Pico de Safra

As obras nestes três trechos considerados “delicados” estarão ocorrendo durante o pico da safra de soja em Mato Grosso, que compreende de meados de janeiro a março, podendo fluir com força em abril, dependendo das condições climáticas na hora da colheita.

Lins esclarece que interferências estarão ocorrendo nesta época, porém busca-se desde já meios de facilitar tanto o andamento das obras quanto do escoamento. “A nossa estratégia é que conforme formos terminando a duplicação ir liberando o trecho pronto e seguir para a recuperação da via já utilizada, assim minimizamos os transtornos”.

Na visão da Rota do Oeste o trecho da Rodovia dos Imigrantes é o mais “desafiador” no ponto de vista operacional, enquanto o trecho que compreende do Posto Gil até Nova Mutum o mais “crítico”, visto a deterioração do pavimento. “Nestes trechos, inclusive, propomos a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) a colocação de lombas eletrônicas para reduzir o número de acidentes que são constantes. O prazo de cinco anos para duplicar estes 850,9 quilômetros é bastante desafiados para nós e para o DNIT em termos de Brasil”, comenta Linz.

Pedágio

De acordo com o diretor geral da Rota do Oeste, a cobrança do pedágio deve começar no 2º semestre de 2015. Por determinação do contrato de concessão o pedágio só pode ser cobrado a partir do momento que 10% das obras estiverem prontas.

Ao longo dos 850,9 quilômetros serão implantadas nove praças de pedágio em Mato Grosso. Elas estarão localizadas nos quilômetros 38 (Itiquira); Km 138 (Rondonópolis); Km 237 (Campo Verde/Santo Antônio de Leverger); Km 300 (Cuiabá/Santo Antônio de Leverger); Km 402 (Acorizal/Jangada); Km 515 (Diamantino); Km 582 (Nova Mutum); Km 667 (Lucas do Rio Verde); Km 772 ( Sorriso).

A Odebrecht venceu a concessão da BR-163 entre a divisa de Mato Grosso com Mato Grosso do Sul até Sinop oferecendo uma tarifa de R$ 2,638 por eixo.

Confira alguns números da concessão da BR-163 (MT) obtida pela Odebrecht TransPort

• 850,9 km de extensão
• 30 anos de concessão
• Início de operação: abril de 2014
• Investimento total de R$ 5,5 bilhões nos 30 anos de concessão
• Investimento de R$ 2,8 bilhões nos cinco primeiros anos de concessão
• Tarifa: R$ 2,638 por cada 100 km
• 9 praças de pedágio
• 3 mil empregos no pico de obras
• 500 empregos na operação
• Socorro médico e mecânico 24 horas
• 18 ambulâncias, 5 com UTI móvel
• 18 guinchos leves
• 8 guinchos pesados
• 19 veículos de inspeção de tráfego
• 5 caminhões pipa
• 5 caminhões para apreensão de animais
• 18 bases de Serviço de Atendimento ao Usuário
Entre em nossa comunidade do WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Assine nossa conta no YouTube, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet