Olhar Agro & Negócios

Quarta-feira, 26 de fevereiro de 2020

Notícias / Tecnologia

Com análise de fotos de raiz e folhas, tecnologia evita perdas na agricultura

G1

30 Dez 2013 - 09:23

Pesquisadores da Embrapa, em São Carlos (SP), desenvolveram uma nova versão de um programa de computador que promete fazer uma avaliação detalhadas das plantas nos campos do país. A intenção é descobrir vários tipos de problemas como falta de nutrientes ou presença de pragas na plantação apenas com fotos de raízes e da folhas.

O programa foi criado no laboratório de agricultura de precisão. Os pesquisadores explicam que o agricultor deve primeiro fazer um buraco pra encontrar a raiz. A profundidade varia entre um metro e um metro e meio. “Temos que fazer a foto na sombra, porque isso padroniza o contraste que a imagem vai ter”, explicou o pesquisador da Embrapa Lúcio de Castro Jorge.

O processo exige que a terra seja separada da raiz e pintada. Um esmalte sintético marca a parte da planta que vai ser fotografada e uma moldura de madeira com barbantes ajuda a delimitar a área.

Mapeamento
Em outra plantação, o teste é para mapear as folhas. “Nós podemos usar um scanner portátil de campo. Você coloca a folha, fecha a folha e aperta o botão. Quem não tiver o aparelho pode usar a máquina digital, mas é preciso usar uma superfície plana, uma bandeja, por exemplo, para evitar que a gente veja o fundo do solo”, explicou Jorge.

O novo software faz a análise do material no laboratório e gera um relatório. “Em menos de um minuto está tudo pronto. Aqui estão os dados estatísticos para fazer a análise da minha planta”, disse o coordenador do laboratório de agricultura de precisão, Ricardo Inamatsu.

Benefícios
A tecnologia poderá evitar problemas como o enfrentado pelo agricultor Virgílio Cintra, em Ribeirão Bonito. Ele cultiva 2 mil pés de banana em uma área de 10 hectares, mas neste ano parte da plantação foi atacada pela broca. A praga deixa as folhas secas e amareladas e depois secam. Os frutos também ficam comprometidos. “O coração não estava sadio e a banana já atrofiou”, explicou.

A perda foi grande. “A casca eu consegui salvar, ficaram os menores, mas 20% perderam totalmente. Se tivesse diagnosticado pela raiz o problema antes de plantar, não teria perdido”, lamentou.

Cintra aprendeu sobre o software e os procedimentos da Embrapa e acredita que no próximo ano a produção deve dobrar com o uso da tecnologia. “Com a especificação que pretendemos gerar, a bananeira vai poder ter um relatório customizado a partir desta versão. Isso vai ficar pronto em fevereiro de 2014”, disse o pesquisador da Embrapa.
Sitevip Internet