Olhar Agro & Negócios

Sexta-feira, 24 de junho de 2022

Artigos

Selic a alta, onde investir agora?

A taxa Selic atual (13,25%) é a mais alta desde de 2016, quando chegou a atingir 14,25%. Essa alta para a Selic já era esperada pelos especialistas, pois a taxa de juros é o principal instrumento de controle da inflação que nos últimos 12 meses ficou em 12,13%. Essa é a maior variação do índice desde outubro de 2003.

A inflação atual é explicada pelo descompasso entre oferta e demanda de bens e, sobretudo, de serviços. Durante muito tempo o consumo foi estimulado com crédito abundante e baixa taxa de juros, mas a oferta não acompanhou a demanda e o dólar valorizado pressiona ainda mais a inflação, pois torna mais cara a matéria-prima utilizada na produção de bens e serviços.

E como resposta, a alta nos juros e grande volatilidade no mercado têm aumentado a procura de investimentos pós-fixados pelos investidores, você sabe porquê?

O mercado de ações tradicionalmente mais volátil tem exigido seleção ainda mais minuciosa e rigorosa dos ativos que irão compor sua carteira para realização de lucros no médio e longo prazo.

A volatilidade mais alta no mercado de ações se dá devido ao contexto geral envolvendo, Covid-19, guerra entre a Rússia e a Ucrânia, ano eleitoral, o fraco desempenho da economia brasileira somados à expectativa de alta dos juros americanos e os dados mais fracos da economia global reforçam a recomendação de que a maior parcela dos seus próximos investimentos deva ser aplicada em ativos de renda fixa pós-fixados.

Investimentos em dólar estão cada vez mais arriscados, dado o patamar da taxa de juros. Assim sendo, é reforçado que o momento está para aplicações mais conservadoras.

Quais são os investimentos pós-fixados?

Os investimentos pós-fixados mais comuns no mercado são os fundos DI, que são fundos de investimento que aplicam nas LFTs - que são títulos públicos emitidos pelo Tesouro; alguns CDBs; e também as letras de crédito, LCI e LCA.

Uma ótima escolha para o investidor que busca por liquidez e segurança são os Fundos DI que cobram taxa de administração inferior a 1% ao ano.

Se liquidez não é uma necessidade, um ótimo investimentos são as letras de Crédito (LCI e LCA), pois estes títulos são isentos de imposto de renda para o investidor pessoa física e são garantidos pelo FGC (o mesmo fundo que protege os investidores de poupança) até o limite de R$ 250 mil por emissor e por CPF.

Entretanto, é bom lembrar que, mesmo que o momento demande uma maior parcela dos seus investimentos aplicada em produtos de renda fixa pós-fixados, diversificar é sempre a melhor escolha.

E sempre bom ressaltar: cuidado com investimentos de altos retornos, com ganhos ‘’fáceis’’. Com o aumento da procura por bons investimentos cresceu também o número de pirâmides e falsos investimentos financeiros, entre outros golpes.

Ainda tem dúvidas? Agende uma reunião com um assessor de investimentos. Sempre tire duvidas com fontes confiáveis.
 
Alessandra Souza Silva
Assessora de Investimentos
 
Sitevip Internet